Archive for junho \28\UTC 2010

h1

Assumir a própria história

junho 28, 2010

Cada vez mais somos impulsionados a viver seguindo a maré. A fazer a nossa história se misturar, e se perder, no meio de tantas, que se torna uma só.

Até mesmo dentro da Igreja corremos o risco de fazer a experiência de Deus apenas coletivamente e esquecer que Ele veio para tocar os corações, cada coração, também o nosso. E que Ele tem uma obra para realizar em cada um de nós.

Alguns de nós, ainda preferem o contato com Deus como era na época de Moisés. Alguns entravam na tenda, ou subiam o Monte, ouviam do Senhor o que fazer e diziam ao resto do povo, que fazia tudo que era ordenado por este escolhido. Muitos esquecem que Jesus rasgou o véu para que todos pudessem entrar no Santo dos santos, simbolismo de que todos podem se achegar a Deus e com confiança, como diz São Paulo.

Precisamos assumir nossa história. Assumir que somos responsáveis por ela. Quantas vezes questionamos que nossa vida não vai pra frente, não temos oportunidades, mas também não fazemos nada acontecer? Não tomamos atitudes. Muitas vezes ouvi pessoas dizerem: “Preciso orar mais, estar mais com Deus!”, mas só ficam nisso, não tomam a atitude de parar um minuto sequer na Presença Dele e se satisfazem em ir à Celebrações ou Cultos, ou Grupos de Oração e vivem do que escutam lá somente. É como um carro que anda sempre com a gasolina na reserva. O que vivemos em comunidade é importantíssimo para nos manter caminhando, mas é no pessoal que o Senhor completa a obra, “completa o tanque”.

Essa semana somos chamamos a assumir nossa história com Deus. Nos abrirmos de verdade ao Seu Espírito Santo.  Permitir que Ele nos toque de maneira especial, como não toca a mais ninguém.  Sair da zona de conforto e assumir a própria vida, não só espiritual, mas em todoas as áreas.

Quando nos abrimos ao Senhor, Ele nos ajuda a sermos o que devemos ser. Nos ajuda a colocar nossa vida no lugar, a agir na hora certa, a parar na hora certa. E não apenas “deixar a vida nos levar”.

Essa semana não vou enviar uma oração para orarmos juntos. Que cada um faça a experiência de orar e clamar a Deus que venha participar de seua vida. Ele é nosso Deus, já o sabemos, mas deseja também ser nosso melhor amigo.

No Amor do Amado

Carol

h1

“E vocês, quem dizem que Eu sou?”

junho 21, 2010

Lucas 9,18-20

Certo dia, Jesus estava rezando num lugar retirado, e os discípulos estavam com ele. Então Jesus perguntou-lhes: “Quem diz o povo que eu sou?”
Eles responderam: “Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou”.
Mas Jesus perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?”
Pedro respondeu: “O Cristo de Deus”.

Depois de muito revelar aos discípulos, de ter estado com eles algum tempo, Jesus faz essa pergunta. Será que sabiam quem Ele era realmente, ou ainda estavam presos às suas idéias de como seria o Messias, o Esperado Libertador.

Jesus, antes, pergunta sobre o que as pesssoas estavam dizendo dele. As vezes, é tão mais fácil saber o que os outros dizem sobre um assunto, sobre o que pensam ou sentem, do que olharmos para dentro de nós e questionarmos o que nós mesmo sabemos, sentimos, dizemos.

Nesta Palavra vemos claramente que  quando Jesus questiona sobre o que os outros estão dizendo todos os discípulos tiveram algo a falar, todos estavam atentos ao que as pessoas estavam pensando sobre aquele que eles estavam seguindo.

Mas quando Jesus vai ao centro, ao interior:” E vós, quem dizeis que eu sou?” a Palavra mostra apenas a resposta de um homem, Pedro. Por mais que tenha feito a pergunta no plural a reposta só pode vir individuamente.

Quando somos questionados sobre o que pensamos de algo ou alguém é que realmente vamos entender o que isto ou esta pessoa é para nós, que tipo de relacionamento temos.  E Jesus nos questiona: “Quem sou eu pra você?”

Será que temos conhecido o Senhor por estar com Ele, falar com Ele, ouvir sua Voz, ou pelo que as pessoas tem falado Dele para nós. Este é nosso questionamento da semana: que tipo de relacionamento tenho tido com o Senhor?

Podemos declarar como Jó: “Antes ouvia falar de Ti, mas agora meu olhos Te viram” ? Somos convidados a conhecer o Senhor cada vez mais. Ele se revela a nós, na Palavra, na Igreja, nos relacionamentos, na Oração e de tantas outras formas, que somente os que não quiserem não farão a experiência do relacionamento com Deus.

No Amor do Amado

Carol

h1

Amor que nos devolve a nós mesmos

junho 19, 2010

Olá queridos,

“Queira descer os degraus!” nos disse o Senhor já no início da noite de ontem, “Eu estou no profundo, na verdade, onde não há máscaras, onde não há fantasias, onde você é você e nada mais.”

Não vamos às profundezas, não mostramos nossa verdade, com medo de que Ele não nos ame. Mas a verdade? A verdade é que Ele já nos amou, já nos amou primeiro. E nos ama também nos amores humanos, basta que deixemos Ele se revelar.

Se não nos deixamos amar por Deus, vamos nos perdendo em nossos amores humanos.  Nossos casamentos não podem suprir nossa necessidade de amor, nossas amizades tão pouco e o medo de perder esses amores nos faz fingir ser o que não somos para atrai-los um pouco mais, mesmo sabendo que não será o bastante. E vamos esquecendo quem somos.

O verdadeiro Amor nos devolve a  nós mesmos. Nos ama como somos, como estamos e mesmo quando precisa nos transformar o faz de forma a nos sentirmos livres para fazê-lo.  E esse verdadeiro Amor encontramos no Senhor, que nos ama também naqueles que estão perto de nós.

Quando deixamos o Senhor nos amar os amores vão se colocando em seu lugar e vão aumentando à medida que percebo o próprio Amor Divino alimentando o Amor Humano. Por exemplo: o Marcelo me ama como esposa e eu a ele como esposo, mas não podemos ser um para o outro a única fonte de amor. Precisamos de família, precisamos de amigos. Deus vai revelando suas faces amorosas em nossos relacionamentos. Também não posso exigir do Marcelo, ou dos meus familiares ou amigos que me deem o Amor que somente momentos a sós com o Senhor podem me propocionar.

Quando somos chamados a descer os degraus, o Senhor quer dizer: volte ao centro, volte à profundidade do que você é! E somente quando somos amados e amamos é que temos essa experiência de ser quem somos.

Podemos perceber isso quando estamos perto de alguém que nos é íntimo, que amamos e nos ama. É como se nos revelássemos. Não há preocupação em ser direfente do que se é, e nem temos tanta vergonha dos nossos defeitos. Ao contrário, quando conhecemos alguém, em primeiro momento, queremos mostrar somente o que temos de melhor, nossas qualidades. Interessante é perceber que quanto mais revelamos o que verdadeiramente somos a alguém mais o amor aumenta entre ambos.

Somos convidados a experimentar esse Amor, o Amor de Deus que cura e transforma nossos amores humanos e nos devolve a nós mesmos, nos ensina a também amar.

Vamos orar juntos?

Senhor Jesus, eu Te louvo pelo Amor que tens por mim. Reconheço que por mais amado (a) que eu possa ser pelos meus, não encontro em ninguém e em lugar algum amor igual ao Teu. Mas percebo também, Senhor, que os amores humanos são lugares onde o Teu Amor pode se revelar e também me amar. Te peço, Senhor, que me ensine a amar e ser amado (a) e a deixar que o Amor me devolva a mim, que retire as máscaras que eu mesmo(a) coloquei na tentativa de suprir minha necessidade de amor. Somente o Teu Amor pode preencher a minha vida completamente. Tira os fardos que eu coloquei sobre aqueles que me amam e também os fardos que colocaram sobre mim. Que o Teu Amor nos envolva e nos ensine a amar de verdade. Amém

No Amor do Amado

Carol

h1

Quem somos diante de Deus?

junho 16, 2010

Olá queridos,

Uma pequena partilha do que senti na oração de hoje.

“O homem vale o que é diante de Deus e nada mais” nos ensina Francisco de Assis.

HOje, com as muitas facilidades de ser conhecido, reconhecido facilmente, a globalização que nos coloca, mesmo sem sair de onde estamos, em todos os lugares, a internet nos faz mais chegados que irmãos de pessoas que, na verdade, nem cohecemos, a aparência se torna o grande inimigo de quem quer viver plenamente a vida de Deus.

A preocupação em falar o que as pessoas querem ouvir, cantar o que gostam, o que vende, escrever o que agrada os olhos, vai nos mascarando e escondendo quem realmente somos.

Essa frase de Francisco de Assis vem nos lembrar o essencial: Deus conhece nossos corações, nossos pensamentos e intenções. Não há nada em nós que possa ser oculto ao Seu Amor e olhar. E valemos o que somos diante Dele e nada mais. O que Ele pensa de nós, do que somos e fazemos deve ser nossa primeira preocupação.

A Palavra diz: “A verdade vos libertará!”. Quando vivemos na verdade do que o Senhor quer de nós, quando abandonamos o medo de ir contra ao pensamento “global”, de andar contra a maré, por mais dificil que isso possa ser a cada um de nós, nosso coração se sente livre e, quanto mais anda nessa liberdade, mais forte fica para continuar caminhando na Verdade.

Quem eu sou diante de Deus? Aquele que busca lutar pelo que sonha, pelos sonhos de Deus em mim, ou que se conforma com as “regras” e se deforma, perde o sentido de ser, perde a digital.

Quem eu sou diante de Deus? Alguém livre, descoberto, transparente, ou ao me aproximar preciso tirar as máscaras, as fantasias que coloquei para atrair os olhares sobre mim.

Quem sou eu diante de Deus? Quero ser a filha, a amada, a perdoada e restaurada…a adoradora e nada mais.

No Amor do Amado

Carol

h1

No Amor do Amado

junho 14, 2010

“No ocaso de nossas vidas seremos julgados quanto ao Amor” João da Cruz

É com essa frase que começamos a semana. O Amor é a maior de todas as Leis do Reino. Isso vemos quando Jesus resume os mandamentos em “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo”, também em I João 4, 7s, onde somos levados a questionar nosso amor: como dizemos amar a Deus que não vemos se não amamos nosso irmão, que podemos tocar?

Ontem, em uma pregação para Namorados, o Padre Geovane, scj, disse: “Nossos amores precisa ser instrumento para que o Amor de Deus esteja presente. O amor humano é meio para o Amor Divino!”

Será que temos sido instrumento de Amor em nossos relacionamentos? Seja ele matrimonial, seja familiar, nas amizades, nos contatos profissionais. Temos sido reconhecidos como aqueles que amam? Será que temos vivido no Amor do Amado?

O Amor de Cristo, como Ele amou, precisa ser nosso parâmetro de como deve ser nosso amor. Ele tocou os que ninguém queria tocar, curou, perdoou, amou aqueles que estavam à margem.  Os bons e os pecadores tem lugar perto de Jesus. E perto de nós? Como temos amado, quem temos amado? Somente aqueles que nos são fáceis, ou também aqueles que precisam se encontrar com o Amor e se achegam perto de nós em busca Dele.

Há muito tempo, minha última palavra é sempre “No Amor do Amado”, por que sei que meu amor, assim como o seu e das pessoas que convivem comigo,  é condicional. Mas o Amor do Amado, não! Ele nos amou primeiro, quando ainda éramos inimigos, como diz a Palavra, e é nesse Amor que precisamos purificar o nosso amor.

Somos convidados a clamar que o Amor de Cristo transforme o nosso amor, nos ensine a amar, nos ensine a ter ações que promovam o Amor e que nos faça instrumentos do Amor Divino.

Queira viver no Amor, se esforce em ter atitudes de amor com as pessoas que convivem com você, as fáceis e as não tão fáceis assim também.

E que o Amor de Cristo seja nossa marca maior.

No Amor do Amado

Carol

h1

Bem-aventurados

junho 7, 2010

Hoje, recebemos um trecho bíblico que é início do Sermão da Montanha, considerado o coração do Evangelho.

Jesus, conhecedor de todo coração, sabe que o ser humano busca por felicidade, mas nem sempre encontra, por que procura em lugares e coisas que não podem trazê-la.

Quantas vezes já ouvimos ou lemos algo assim? Ano após ano, geração após geração, a pregação precisa ser a mesma. O “mundo” prega o consumismo, o status, a aparência, enquanto a Palavra de Deus nos faz voltar ao coração, ao sentimento e também ao outro.

O Evangelho das bem-aventuranças traz o inverso dos critérios que aprendemos.

“Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus” Aqueles que, mesmo tendo muito, não se apegam a nada que não seja o Senhor, que sabem usar do que tem para viver bem e fazer o mundo melhor, que fogem do egoísmo.

Bem-aventurados os aflitos, porque serão consolados” Aqueles que sofrem aflições, confiando no Senhor, que reconhecem estar participando da própria Cruz de Cristo e que, com Ele, ressucitarão.

Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra” Aqueles que não são guiados pelo impulso, pela vingança, pela maldade, mas deixam o próprio Espírito dominar seus corações e ímpetos.

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados” Aqueles que entendem que todos somos responsáveis pela geração a qual fazemos parte e não podemosficar alheiosao que acontece à nossa volta.
Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia” Aqueles que sabem de onde o Senhor os tirou, reconhecem que somente Sua graça os mantém e por isso, são misericordiosos com os irmãos.

Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus” Aqueles que fogem da malícia, da duplicidadede coração. “Perto está o Senhor do coração sincero”

Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus” Aqueles que não ficam conformados com a realidade, mas se colocam à serviço da paz, que saem da zona de conforto e se tornam profetas de nosso tempo.

Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus” Aqueles que entendem sua missão neste tempo, que são instrumentos da Justiça de Deus.

Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem, e, mentindo, disserem todo tipo de mal contra vós, por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus. Do mesmo modo perseguiram os profetas que vieram antes de vós” Aqueles que se preocupam com o que o Senhor pensa sobre suas vidas, que procuram viver de acordo com Sua vontade e Suas ordens, mesmo que isso pareça os colocar contra a maré de todo o resto das pessoas ao seu redor.

Somos todos chamados a ser conhecidos como os “bem-aventurados”. Que o Espírito nos coloque na vontade do Pai todo tempo e nos conforme ao Seu querer. Que possamos aprender de Jesus a ser mansos, pacíficos, denunciadores do mal, instrumentos de benção.

No Amor do Amado

Carol

Esta semana, a Igreja Católica Romana, celebra o dia do Sagrado Coração de Jesus, e encerramos o ano sacerdotal, onde percebemos tantas coisas enconbertas que foram descobertas, podemos dizer que isso também é obra do Espírito Santo. Que  possamos orar pelos sacerdotes e líderes de Igrejas, pelos que passam por dificuldades, crises ministeriais, problemas financeiros, afetivos, por aqueles que o Senhor escolheu e que de alguma forma não estão conseguindo responder a esse chamado. “O socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra!” Salmo 120,2

h1

26 anos!!!

junho 5, 2010

Olás queridos,

Esse sábado faço 26 anos. Quando fiz 15, as pessoas estranharam que troquei minha festa por instrumentos musicais, para o ministério.Diziam: “Mas 15 anos se faz apenas uma vez!” Ora, qual idade fazemos mais de uma? Cada ano é especial e  em cada um fazemos a escolha de benção ou não. Naquele ano fiz a melhor escolha que podia, de certa forma, ela me trouxe onde estou.

Ano após ano, tenho visto o Senhor me transformar. A menininha que mal sabia o que significava o “Sim” dado a Ele, com 12 anos, agora já casada, com um pouco mais de visão sobre o que Ele quer de mim. É muito bom olhar para minha história e reconhecero mover de Deus, Sua mão me mostrando o que fazer, Sua voz me ensinando, Seu Espírito me atraindo. Não me vejo vivendo outra vida senão a que escolhi.

Todo aniversário vejo como um presente de Deus, um novo ano de benção que se inicia, uma nova etapa, uma nova oportunidade de amadureciemnto. Só peço ao Senhor que renove as forças e a coragem pra continuar. Que os anos não apaguem, ou diminuam, meu zelo, minha vontade de fazer tudo que posso por Ele, como quando mais nova.  Brincamos agora: “Já estamos ficando velhas!”, que o cansaço do corpo seja por muito viver, por muito fazer, por muito experimentar da graça de servir sempre e não uma desculpa para parar.

A liturgia deste dia 5 é maravilhosa, o Evangelho da oferta daviúva, o salmo 70 e a II Timóteo 4,1-8. Quero poder oferecer minha vida completamente, tudo que sou e tenho, como a viúva, e ver minha oferta ser aceita agradavelmente por Deus. Quero cantar, como no salmo, as maravilhas que Ele tem feito e cumprir meu chamadoara , no fim, poder dizer como está escrito em II Tim 1,7s: “Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé. Agora está reservada para mim a coroa da justiça, que o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos que esperam com amor a sua manifestação gloriosa.”

A todos que mandaram, ou ainda estão mandando,  recadinhos no orkut, twitter, msn, celular, telefone, ou vieram aqui em casa…Deus abençoe vcs imensamente. é muito bom receber carinho daqueles que amamos.

No Amor do Amado

Carol