Archive for setembro \28\UTC 2009

h1

Vivendo como Salvos!

setembro 28, 2009

(Direção – 28 de setembro de 2009)

Colossenses 3 é o foco de nossa atenção nessa semana. Nesse capítulo Paulo nos exorta, exortando a comunidade de Colossos, a viver conformes à Salvação que recebemos. “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.” (versículos 1-3).
Não vivemos como ressuscitados quando não deixamos que o Espírito transforme nosso caráter, nosso temperamento. Escondemos-nos atrás de desculpas como: “Sou assim mesmo! Sempre fui assim e Deus me ama como sou!”. Com certeza, Deus nos ama como somos, mas não como estamos. Quando nos abrimos ao Espírito, o Senhor vem, dia a pós dia, completando a obra em nossas vidas.(“Tendo por certo isto mesmo, que Aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus” Filipenses 1:6)

Não estamos prontos. Precisamos assumir essa condição e retirar de nós todo orgulho que nos impede de sermos lapidados pelo Senhor. Não somos o que devemos ser e, pior, muitas vezes estamos longe disso. Mas, sabemos que nossa vida com o Senhor é feita de escolhas diárias pelo que vem do céu e total repulsa ao que nos tira dele. “ Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca. Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos, E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos.” (versículos 9-11). Precisamos escolher todo tempo viver pelo Espírito e não pela carne. Viver pelo Espírito e não por nossos impulsos. Andar com os que andam segundo o Espírito, alimentar conversar saudáveis e fugir de assuntos inúteis, não preencher nosso coração com palavras torpes, palavrões, expressões vazias, são exemplos de decisões que podemos tomar no nosso dia a dia que nos aproximará do Senhor.

Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos. A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração. E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” (versículos 12-17).

Quando aceitamos Jesus, também aceitamos que nossa vida seja transformada pelo Espírito. Se não deixamos o Espírito transformar nosso viver, nosso modo de agir e pensar, não estamos vivendo em Cristo e enganamo-nos a nós mesmos. O importante é nos abrirmos ao Espírito, decidirmos ser do Senhor todo tempo, viver de acordo com Sua Palavra, nos deixando moldar e transformar. Continuar firmes na oração e na decisão de sermos o que devemos ser: imagem de Deus (Gen 1,26), templos vivos do Espírito (I Cor, 6,19) e novas criaturas em Cristo Jesus (II Cor, 5,17).

Vamos orar juntos:

Pai amado, Tu nos destes Teu próprio Filho para nos resgatar da morte, tudo que nos aprisionava, tudo que nos ligava ao inferno lançastes sobre Ele, para que possamos viver livres. Livres para sermos Teus. Livres para vivermos a vida que o Senhor tem para nós e vida em abundância. Ajuda-nos, Senhor, pelo Teu Espírito, a vivermos de acordo com essa Vida que conquistastes para nós. Ajuda-nos a deixarmos o Espírito nos lapidar conforme o Teu querer. Clamamos que Teu Espírito nos faça cada vez mais dóceis ao Teu Amor e que possamos ser o que o Senhor deseja de nós. Te louvamos, adoramos por nos escolher, por nos ajudar a Te escolher todos os dias. Nós somos o Teu povo e o Teu rebanho, guia-nos. Em Nome de Jesus, Amém!

No Amor do Amado

Carol

h1

Ministrando o Louvor

setembro 24, 2009

Estar à frente de um povo, sendo canal de benção e direção de Deus é uma missão para o servo do Senhor, que não pode ser levada de forma irresponsável. Além de elevar o próprio louvor ao Senhor, o ministro precisa se preocupar em ajudar aos que estão com ele a também louvarem. É importante que a ministração não seja vista como “animação”, como mero preenchimento de espaço. Cada palavra que sai de nossa boca tem seu efeito na vida das pessoas que se confiam ao nosso ministério. É preciso empenho, fora do altar, púlpito, palco, para que, quando estivermos nele, possamos estar mais abertos à graça de Deus. Sem dúvida, o Senhor não deixa de agir, por que não estamos preparados, mas quando nos dispomos à preparação estamos mais ligados na vontade de Deus e Ele pode agir mais através de nós. Algumas realidades, ao meu julgar, são indispensáveis, para aquele que deseja realmente ser um ministro de louvor segundo o coração de Deus.

Primeiro, INTIMIDADE COM DEUS. Não há como servir a Deus sem conhecê-Lo. Não há como falar Dele, sem saber sobre Ele. A amizade com Deus nos traz a segurança de que Ele estará conosco, que cuidará de tudo. Quando não estamos em unidade com o Senhor sentimos como que se a ministração saísse de nós e não Dele, e sabemos que não temos poder algum, e acabamos querendo forçar Deus a fazer algo pelo nosso falatório, ganhar a graça pela oratória, mas isso o Senhor não faz. Ele não se deixa impressionar pelas palavras, mas pelo coração. Quanto mais próximos do Senhor estamos mais Ele aparece e nós diminuímos, mais Ele opera em nosso favor. Quando buscamos de coração a intimidade com o Senhor, Ele se revela a nós, revela sua vontade para nossas vidas e para a vida dos que estão adorando a Ele conosco. Aí sim, nós no Senhor somos uma potência. O Senhor faz da nossa boa oratória um instrumento cheio de unção, mas se estivermos em comunhão com Ele, senão serão palavras soltas e inférteis.

Segundo, CONHECIMENTO DA PALAVRA DE DEUS. A Bíblia é como o manual de vida nos dado por Deus. Tudo que precisamos saber para sermos fiéis ao Seu chamado está nela. É uma forma de estarmos também unidos ao Senhor. Lendo Sua Palavra, conhecemos sua vontade, aprendemos Dele como agir, como fazer, o que fazer, como agradar Seu coração. Aprendemos com a história do povo de Deus como ser também desse povo. Quanto mais lemos a Palavra de Deus, mais somos conformados segundo a metalidade de Cristo, mais enraizamos as verdades do céu em nós e, como sabemos, mais falaremos das coisas celestes, pois a boca fala do que o coração está cheio. Assim, o Espírito Santo poderá inspirar em nós caminhos bíblicos para a ministração. A Palavra diz: “O Espírito vos recordará de todas as coisas”, então é preciso que tenhamos o que ser recordados. Nossa vida precisa ser norteada pela Palavra de Deus, não podemos ser duplos, uma vida ministerial e outra quando não estamos ministrando e isso só aprendemos na Palavra. Lendo-a se faz parte de nós e transforma nosso viver.

Em terceiro lugar, EMPENHO MINISTERIAL. O empenho ministerial é aquele tempo que dispensamos para aprender mais do nosso instrumento (se tocamos), mais sobre técnica vocal (se cantamos), é o tempo que dispensamos em aprender mais canções, em tocar e cantar as que sabemos melhor. É também o tempo que tiramos para ler livros, artigos sobre nosso ministério, testemunhos de outros ministros, mais experientes que nós. É o tempo que tiramos para orar por nosso ministério, por aqueles que fazem parte dele conosco. O Senhor é digno de um louvor com excelência e só podemos dar isso a ele se nos empenhamos. É como a parábola dos talentos: o Senhor nos dá o talento, há pessoas que já nasceram com uma voz boa, por exemplo, mas que se não se empenharem em progredir vão acabar enterrando esse talento, o que não agrada ao Senhor. Deus deseja ver seus filhos multiplicando os dons que Ele deu. Esse tempo que reservamos para o nosso ministério reflete como liberdade quando estamos ministrando. Se sabemos as canções, as letras, se estamos confiantes ao cantar, confiantes pelos testemunhos e formação que fizemos e lemos, podemos ficar mais atentos ao mover de Deus e menos em nós mesmos. Se eu não estudo a música, sua letra e melodia, fundamento bíblico-cristão, se não confio na minha técnica musical fico presa demais em mim mesma, para que não erre, não passe vergonha, mas o que deixo passar é a graça de Deus.

Outra realidade que julgo precisarmos estar atentos é SABER SOBRE O LUGAR E SOBRE O POVO que estamos ministrando. É muita arrogância do ministro achar que somente ele tem algo a oferecer ao povo, quando na verdade, cada lugar com sua história e experiência de Deus é quem vai direcionar a ministração. O Senhor é conhecedor de todos e de tudo, sabe sobre cada lugar onde nossos pés pisarem, mas nós também, por amor a esse povo, precisamos saber. Cada lugar é precioso aos olhos do Senhor e quando procuramos saber sobre a história e a realidade de algum lugar também somos tomados pelo amor que o Senhor tem por eles. Nos tornamos mais próximos e assim temos maior abertura e confiança daqueles que oram conosco e , assim, maior abertura à graça do Senhor.

Que esse possa ser nosso começo, nosso ponto de partida: buscar dia após dia estar diante de Deus, ler sua Palavra, ouvir a Sua voz, nos empenharmos em dar um louvor com excelência ao nosso Deus e amar, amar a todos que o Senhor colocar em nossos caminhos. Tudo isso, claro, com a ajuda do Espírito Santo, aquele que opera todas as coisas em nós.

No Amor do Amado

Carol Carolo

h1

Um só Senhor, que age em todos

setembro 21, 2009

(Direção Semanal -21 de setembro)

Efésios 4,1-7.11-13

Irmãos, 1eu, prisioneiro no Senhor, vos exorto a caminhardes de acordo com a vocação que recebestes: 2com toda a humildade e mansidão, suportai-vos uns aos outros com paciência, no amor. 3Aplicai-vos em guardar a unidade do espírito pelo vínculo da paz.
4Há um só Corpo e um só Espírito, como também é uma só a esperança à qual fostes chamados. 5Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo, 6um só Deus e Pai de todos, que reina sobre todos, age por meio de todos e permanece em todos. 7Cada um de nós recebeu a graça na medida em que Cristo lha deu. 11E foi ele quem instituiu alguns como apóstolos, outros como profetas, outros ainda como evangelistas, outros, enfim, como pastores e mestres. 12Assim, ele capacitou os santos para o ministério, para edificar o corpo de Cristo, 13até que cheguemos todos juntos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, ao estado do homem perfeito e à estatura de Cristo em sua plenitude.

Todos nós pertencemos e fomos chamados pelo mesmo Deus, que opera sua graça em nossas vidas e coloca cada um de nós no lugar onde devemos frutificar e ser sinais do Reino. A Palavra diz: “um só Senhor, que reina sobre todos, age por meio de todos e permanece em todos” Efésios 4,5. É o Senhor quem chama a cada um e nos coloca no lugar certo e, enquanto não assumirmos nosso lugar, não poderemos ser o que o Senhor deseja de nós, nem frutificar como convém.

De acordo com a necessidade, o Senhor vai levantando Seus ministros em favor do Seu povo. Levanta sacertodes, pregadores, pessoas que atendam oração, músicos, formadores, teólogos, catequistas. Não importa para o que fomos chamados, importa é que fomos chamados. O próprio Senhor quis usar de nós. Ele não precisa de nós, mas Ele quis e cabe a nós assumirmos com todo amor e dedicação o chamado que recebemos.

Enquanto olhamos o ministério do outro, desejando que fosse nosso, nunca viveremos as maravilhas da missão que o Senhor reservou para nós e a unidade que Ele deseja para Sua Igreja. Somente quando cada um está no seu lugar, abençoado vidas, é que realmente experimentamos a Igreja, Noiva de Cristo, onde cada um, na sua função , forma o Corpo de Cristo. Quanto mais nos tornamos um com Cristo, mais Ele se revela a nós e mais próximo de nós o Reino de Deus se faz.

Peçamos ao Senhor esta semana que nos fortaleça em nossa missão, confirme nossos corações e permaneça conosco. Sejamos benção na vida dos irmãos no ministério ao qual o Senhor nos chamou e com nossa própria vida. Quando somos um, o Senhor opera em nós, através de nós e fica conosco. E é isso que mais desejamos.

Vamos orar juntos:
Senhor Jesus, reconhecemos Teu poder e Tua graça. Reconhecemos que o Senhor, conhecedor de todas as coisas, sabe exatamente onde colocar cada um de nós. Tu, que conheces nossos corações, nossas qualidades e nossos limites, sabes, exatamente, onde nos usar a favor do Reino e para que sejamos curados. Queremos assumir nosso chamado nesse dia, para que o Senhor complete a obra em nossas vidas. Usa-nos conforme o Teu querer, faz-nos ser o que o Teu coração deseja de nós. Te louvamos e adoramos! Amém!

No Amor do Amado

Carol

h1

Livres pela Cruz de Cristo

setembro 14, 2009

(Direção Semanal – 14 de setembro de 2009 )

17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele”. João 3,17

A Palavra diz que Jesus desceu até o inferno para trazer de volta aqueles que lá estavam, mas que não pertenciam àquele lugar. Nós não pertencemos ao inferno, fomos comprados pelo Sangue de Jesus, que pagou toda dívida de pecado que tínhamos adquirido contra nós.
Triste é que muitas vezes vivemos como devedores. Acusados pelo inimigo, entregamos a ele tudo o que temos, como a um cobrador. Vamos ficando pobres das bençãos de Deus, por que quando a recebemos o inimigo toma de nós. Ele vem cobrar um alto preço por nossas vidas que não podemos pagar e se não conhecemos Jesus, acabamos por nos entregar ao cobrador.

Em Colossenses 2, 14 diz: “Cancelou (Jesus) o documentos escrito contra nós, cujas prescrições nos condenavam. Aboliu-o definitivamente, ao encravá-lo na Cruz”.
Somos um povo livre, liberto por Jesus de toda condenação. Ele pagou o alto preço que não poderíamos pagar. Ele nos resgatou da morte e nos trouxe de volta à vida. Aquilo que nos condenava está pregado na Cruz. Não precisamos mais viver como condenados, como mortos, por que a morte que estava reservada para nós, Jesus tomou sobre si. As nossas doenças espirituais e físicas, nossas doenças familiares, toda a nossa vida está em Cristo.

Em Romanos 6,6 lemos : “Sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com ele, para que seja reduzido à impotência o corpo (outrora) subjugado ao pecado, e já não sejamos escravos do pecado.”
É na Cruz que deixamos nossos falsos interesses, nossas más intenções, nossas maquinações, nossa falsa imagem. É na Cruz que somos lapidados segundo a imagem de Cristo. Engana-se quem pensa salvar-se sem a Cruz. É preciso morrer para si mesmo para nascer em Cristo. Crucificados com Cristo, também ressuscitamos com Ele. Livres pela Cruz de Cristo, assumindo a nossa Cruz, seremos o que realmente devemos ser.
Que assumamos a Salvação conquistada por Jesus, que nos deixemos amar por Ele, por esse amor tão intenso que nos escolheu para sempre.

Vamos orar juntos:

Senhor, te louvamos e agradecemos pela Salvação conquistada pro Ti. Por Tua morte temos vida, por tuas chagas somos sarados, pela maldição que caiu sobre Ti, fomos libertos das nossas maldições. Que possamos viver a Vida que tens para nós. Vida de liberdade e intimidade contigo. Em Ti, somos mais que vitoriosos. Amém.

No Amor do Amado
Carol

h1

Ser realmente de Deus

setembro 13, 2009

Olá amados,
Esses dias tenho pensado muito sobre minha postura diante de Deus e da Sua obra em minha vida. Depois que lançamos o cd pude começar a ter contato com alguns artistas católicos e evangélicos, alguns irmãos de rádio, de sites…e tenho pensado muito…o que nos torna diferentes?

A Presença de Deus é nossa diferença. Muito além da musicalidade, do carisma,
de uma boa oratória…a diferença de quem quer ser músico na Igreja é a Presença de Deus.

Sem Ele tudo que fazemos se torna vão e vazio. Quando cantamos sobre o Senhor, mas Ele não está no que cantamos nossa voz se torna totalmente inútil. Precisamos transbordar a Presença de Deus em nós.

“Do seu interior fluirão rios de água viva!”

É assim que precisamos viver..fluindo na Presença e na Unção do nosso Deus.

Um dia, na casa dos padres na Canção Nova, no meio de um almoço o padre José Augusto entrou na casa…e o clima mudou.

Se ele nos mandasse orar naquele momento, nós oraríamos. A Unção estava caminhando com Ele, como a coluna de fogo com o povo no deserto. Daquele dia em diante eu decidi que quero ser assim…nem sempre tenho conseguido..mas tenho tentando ser diferença por onde passo…e isso faz a maior diferença em mim primeiro.

Minha atenção no Senhor e nas Suas coisas ficaram muito mais aguçadas…tudo por que eu decidi ser assim.

O Senhor está sempre disposto a nos ungir e a estar conosco, somos nós quem precisamos nos decidir por estar e ser Dele.

Eu quero, Senhor, e sei que o Teu Espírito está me ajudando, me conduzindo, me atraindo a Ti, pois sem Ti nada posso fazer!

Pra terminar, um trechinho de uma música da Aline Barros que fala muito ao meu coração:

“Se o meu corpo errar o caminho, meu coração clamará por Ti. Abraça-me com Tua miserícordia, vem me envolver, ua Face quero ver”.

A ordem é: Decidir-se ser realmente de Deus todos os dias!

No Amor do Amado

Carol

h1

Video – Quem me ama assim?

setembro 13, 2009

Olá amados,
Olhem que lindo o video que minha amiga, Adriana, fez pra mim…muito lindo mesmo!!!


Quem me ama assim?

NO Amor do Amado
Carol

h1

Novidades

setembro 9, 2009

Olá pessoal,
passando pra contar rapidinho algumas novidades…essa semana fiu convidada por três sites para ser colunista.. o Senhor nos levando além…para falar das coisas do alto e também sobre nossa humanidade..peço suas orações, para que eu seja fiel aos propósitos de Deus…e ao Seu plano para minha vida…

No Amor do Amado

Carol