Archive for junho \27\UTC 2011

h1

“Sem mim nada podeis fazer”

junho 27, 2011

João 15, 1-8 é nosso alvo de atenção esta semana. Queremos que nossa vida dê frutos, que nossos ministérios alcansem seus objetivos, que nossas famílias sejam abençoadas e nossos sonhos se concretizem no Senhor, mas nem sempre queremos permanecer na videira, por que temos medo da poda, não temos paciência para esperar o tempo do fruto, não temos obediência para acreditar que o que o Pai, lavrador, faz e nos manda fazer é sempre o melhor para nós.

Cada árvore tem seu tempo de crescer, se preparar e dar frutos. Quantas vezes já ouvimos falar de frutos que vieram foram de hora e, por isso, estão sem sabor, ou do tamanho errado, ou então vieram em pouca quantidade. Não queremos isso para nossas vidas: dar frutos sem sabor, em pouca quantidade, da forma errada, só para podermos vê-los logo. Acredito que todos nós queiramos ver nossos frutos perfeitos, no tempo certo, mesmo que este tempo não seja o nosso e que precisemos esperar e entender os métodos do Senhor conosco.

Na Palavra o Senhor nos ensina permaner Nele, pois Ele é a Vida na Videira, o que sustenta, o que mantém e faz crescer com vigor. Sem Ele NADA podemos fazer, e enquanto nosso coração não se convencer disso estaremos longe de cumprir o que o Senhor nos chama a fazer e ser e muito menos de ver nossa vida gerar frutos abundantes.

Nós somos o povo que crê na Salvação, na obra do Senhor na humanindade, mas muita vezes vivemos como se não fossemos esse povo. Vivemos de nossas próprias idéias e estratégias, daquilo que achamos que dá certo. Não paramos mais para perguntar ao Senhor o que fazer, como fazer, como agir, como ser. Acabamos vivendo uma fé no “automático”, sem mais experimentarmos a amizade e os conselhos Daquele que deseja que demos frutos 100 por um.

Quando vivemos por conta própria não permitimos que a seiva chegue a todos os lugares, não permitimos as podas, não permitimos que a videira nutra nossos galhos e, consequêntemente, iremos morrendo aos poucos, perdendo o vigor e a possiilidade de frutificar.

Que possamos parar esta semana e clamar ao Pai que venha cuidar de nós, que nos faça permanecer na videira, que é Jesus, e, nutridos por Ele, que possamos dar os frutos que Ele mesmo deseja receber de nós. Que o nosso coração se convença mais e mais que sem o Senhor nada, nada, nada podemos fazer.

No Amor do Amado

Carol

Anúncios
h1

“Sorte é poder falar com Deus”

junho 13, 2011

Depois de nove dias clamando pelo Espírito e um domingo de Pentecostes, com certeza,cheio de respostas e da Presença do Senhor, nos deparamos com uma segunda feira, 13 de junho, dia de Santo Antônio, para os católicos, cheio de contradições à própria fé católica.

A tradição popular se infiltra em nossas igrejas e faz com que a verdadeira festa pela vida de um homem que se entregou ao Senhor, se torne meio de sincretismo. Há que diga: “Mas o que vale é a fé do povo!”, e o pior é que muitos líderes acabam cedendo à essa desculpa para tirar proveito e arrecadar até mesmo dinheiro, com venda de imagens, de bolos com medalhas, velas e tudo mais que vemos por aí.

Nesta segunda-feira, pós festa de Pentecostes, fica o questionamento a todos nós: A referência que temos da vidas dos santos é a barganha com a benção, ou a Presença poderosa do Espírito que os transformou e os fez modelo de vida para todos nós que desejamos ser transformados da mesma forma? Digo isso não somente aos católicos, mas a todos os cristãos que acabam colocando sua atenção nas ações que “poderiam alcançar favor” e esquecem que a vida de busca pela santidade e intimidade com o Senhor é que transforma a vida do homem e o abre à realidade de bençãos dos céus.

Há uma canção local que fala sobre as formas como o homem tem guiado sua vida, dentre elas fala sobre as simpatias, pactos, promessas que poderiam modificar a sorte do homem. A canção continua dizendo que “sorte é poder falar com Deus”. Ora, quem tem livre acesso ao Senhor, precisa recorrer às estratégias para Lhe dizer o que precisa? Há quem se aproxime do Senhor, de coração sincero, e não seja abençoado por Ele? (Eclo 2). Em João 15, lemos: “Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. (…) Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.”

Poder estar no Senhor, fruto da Paixão do Senhor, fruto do recebimento do Espírito Santo, derramado por Jesus, essa é a sorte do homem. Sorte que não pode ser mudada por simpatias, estratégias, ou qualquer outro tipo de “troca”. Tudo que podemos fazer, jejuns, novenas, propósitos de oração, campanhas de clamor,  servem somente para que nossa atenção fique mais aguçada, mais sensibilizada à Presença de Deus e que possamos perceber Sua ação e Seu mover em nossas vidas e não para “arrancar” qualquer coisa das Mãos do Senhor.

A Palavra é clara e simples: Permanecer no Senhor é o caminho da benção. Por que? Por que quando estamos Nele, nosso coração reconhece o que realmente precisa, se abre à transformação de vida, somos abençoados de todas as formas, pois o Senhor deseja abençoar da forma certa. Por isso, sorte é poder falar com Deus, estar em Sua Presença, poder revelar-Lhe nossos sonhos, desejos, medos, angústias, inquietações. Sorte é saber que temos um Deus de Amor a nosso favor e que nos dará tudo que realmente precisarmos para sermos felizes e cada vez mais íntimos do Seu coração. Sorte é não sermos abandonados à nossa própria idéia, mas recebermos do alto o Espírito de Deus.

Termino essa direção com a oração ao Espírito Santo, orada em muitas igrejas ontem.

Espírito de Deus/ Enviai dos céus/ Um raio de luz/ Um raio de luz/

Vinde, Pai dos pobres/ Daí aos corações/ Vossos setes dons/ Vossos setes dons.

 Consolo que acalma/ Hóspede da alma/ Doce alívio, vinde/ doce alívio vinde/

 No labor descanso/ Na aflição remanso/ No calor aragem/ No calor aragem.

Enchei, luz bendita/ Chama que crepita/ O íntimo de nós/ O íntimo de nós/

 Sem a luz que acode/ Nada o homem pode/ Nenhum bem há nele/ Nenhum bem há nele.

Ao sujo lavai/ Ao seco regai/ Curai os doente/ Curai os doentes/

 Dobrai o que é duro/ Guiai no escuro/ O frio aquecei/ O frio aquecei.

Daí à vossa Igreja/ Que espera e deseja/ Vossos setes dons/ Vossos setes dons/

 Daí em prêmio ao forte/ Uma santa morte/ Alegria eterna/ Alegria eterna.

 Amém!

 

Vivamos pelo Espírito e façamos somente o que Ele nos ordenar!

No Amor do Amado!

Carol

h1

9 dias de clamor: Oração pedindo o Espírito Santo

junho 3, 2011

Olás queridos, a pedidos desenvolvemos uma oração para nossos 9 dias de clamor. Que seja mais um instrumento de unidade e incentivo à oração.

Carol

9 dias de clamor: Oração pedindo o Espírito Santo

Pai de misericórdia, que desde o começo tens olhado para o homem e desejado um relacionamento verdadeiro com cada um de nós. Em toda História, reconhecemos os passos que tens dado em nossa direção, ao ponto de nos entregar Seu Filho amado, nosso Senhor, Jesus Cristo, aniquilando toda raiz de inimizade que ainda poderia existir entre o nosso coração e o Teu. Também reconhecemos o desejo que tens de ver Tua Igreja, Teu povo, unido em Tua vontade, pelo Reino que Jesus implantou na Terra e que há de vir completar em Sua segunda e definitiva vinda. Pai, para que pudéssemos permanecer na Sua Presença e nos abrirmos ao Teu Amor, ainda envias, por Jesus, o Teu Espírito Santo. O próprio Amor que há entre Ti, ó Pai e teu Filho, se faz morador de nossos corações para nos levar a uma intimidade verdadeira contigo e com Jesus.

Clamamos, Senhor, como filhos resgatados e ansiosos por mais de Ti, que derrame sobre nós, Tua Igreja, o Espírito prometido por Jesus. Aquele que nos conhece a cada um, nos vê muito mais que a um povo, mas nos faz povo de adoradores íntimos do Teu coração. Sabemos que seremos Igreja Verdadeira quando cada um de nós receber o Espírito Santo e reconhecer Jesus como soberano Senhor e Salvador.

Que nossa vida, nossas famílias, nossos relacionamentos, sejam transformados por Tua visitação relembrada e celebrada por nós na Vigília de Pentecostes.

Ansiosos esperamos, como os Apóstolos, discípulos e Maria, reunidos em oração, que sejamos fortalecidos por tua unção e que não nos falte hoje e sempre a sua Divina Consolação que tanto precisamos para viver.

Eis-me aqui Divino Espírito Santo, enche-me de Ti.

Amém

(oração desenvolvida por Marcelo e Carol Carolo – Comunidade Adorai)

 

h1

“E todos foram cheios do Espírito Santo” (Atos 2,4) – 9 dias de clamor!

junho 2, 2011

Esta é a realidade de vida que desejamos para nós, nossas famílias, nossas comunidades, nossa Igreja. Queremos ser um povo cheio do Espírito Santo e aprendemos o caminho para vivermos assim na Palavra de Deus.

Nestes nove dias que antecedem a Celebração de Pentecostes, vamos clamar, assim como os primeiros cristãos, que venha sobre nós e sobre a Igreja o Espírito prometido por Jesus.

Na Palavra, encontramos um episódio que nos impulsiona ao questionamento pessoal e também a um empenho verdadeiro em clamarmos o Espírito Santo de Deus. Em Atos 19, lemos que Paulo chegou a Éfeso e encontrou ali alguns discípulos de Jesus e o primeiro questionamento feito a eles não foi sobre a estrutura da Igreja, sua ação na sociedade, a boa conduta, ou conhecimento das Escrituras. A primeira pergunta feita aos discípulos foi: “Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes?”.

De nada nos adianta sermos cristãos conhecedores da Palavra, cheio de boas obras, participarmos de assembléias lotadas e bem afetuosas se o Espírito Santo não der sentido a todas essas coisas (Jo 16,13). Entendemos a Palavra, conseguimos colocá-la em nossas vidas, participamos na Igreja, amamos as pessoas verdadeiramente quando somos templos do Espírito (Ef 2,22).

Nossa novena passará também pela Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos. Há melhor forma de sermos Um senão pelo Espírito de Deus? Aquele que distribui os dons de Deus segundo Sua vontade é nosso elo de unidade, assim como está escrito: “Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo” (I Cor 12,4) e também “Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer” (ICor 12,11).

Então, essa será nossa Direção Espiritual para estes dias antes de Pentecostes. Saibam que toda Igreja de Cristo, em suas expressões, estará neste clamor e esta é uma forma de estarmos unidos como povo em oração. Crendo na promessa de que o Senhor nos ouve quando clamamos juntos.

Colocaremos como leitura comum, para estes dias, o capítulo 8 do livro de Romanos e, assim, nos colocaremos em unidade de oração. Conforme for acontecendo a novena, convido aos irmãos que testemunhemos, partilhemos, animemo-nos uns aos outros, para que o Senhor envie sobre nós, Sua Igreja, o Espírito Santo.

1-       Romanos 8, 1-4: a lei do Espírito de vida. Clamemos que nossos corações sejam convencidos da necessidade de vivermos pela Lei do Espírito. Que a Igreja seja fortificada e encorajada a defender essa Lei.

2-       Romanos 8, 5-8: inclinar-se ao Espírito para agradar a Deus. Clamemos que nossos corações se inclinem ao Espírito e aprendemos a agradar a Deus. Que a Igreja permaneça fiel no chamado a apostolar o povo de Deus e guiá-lo.

3-       Romanos 8, 9-13: o Espírito vivifica aqueles que permitem que Ele faça morada. Clamemos pela renovação e avivamento em nossas vidas. Que a Igreja se abra cada vez mais ao Espírito Santo que confirma e renova

4-       Romanos 8, 14-17: o Espírito testifica que somos filhos de Deus. Clamemos por uma renovação em nossas mentes, que assumamos a paternidade de Deus e vivamos como Seus Filhos. Que a Igreja se recorde de que somos filhos do mesmo Pai e, mesmo em nossas diferenças, somos uma só família conquistada por Jesus, confirmada pelo Espírito

5-       Romanos 8,18-23: A criação geme em dores de parto e aguarda a manifestação dos filhos de Deus. Clamemos ao Espírito que gere em nós e na Igreja a consciência responsável pela criação de Deus e atitudes de cuidado com o Dom da Vida.

6-       Romanos 8, 24-28: Esperança em Deus, confiança no Espírito. Clamemos que nossos corações sejam tomados pela certeza de que nossas orações não são vãs e que, mesmo sem ver, o Senhor está cooperando para nosso bem e para o bem da Igreja.

7-       Romanos 8, 29-30: Em Jesus somos irmãos. Clamemos ao Senhor que sejamos convencidos pelo Espírito da necessidade de agirmos como irmãos, o que Nele realmente somos. Que a Igreja entenda que a unidade dos cristãos é desejo do próprio Cristo.

8-       Romanos 8, 31-34 – Quem será contra nós? Clamemos ao Espírito que traga ao nosso coração a certeza de que a obra é Dele em nós e na Igreja e que não devemos deixar as situações e desilusões nos assustar ou desanimar.

9-       Romanos 35-39 – Nada pode nos separar do Amor de Deus. Clamemos ao Espírito, amor de Jesus derramado sobre nós, que convença nossos corações e a Igreja desse Amor e que em Jesus recebemos a vitória que buscamos.

No Amor do Amado

Carol