Archive for julho \26\UTC 2009

h1

“tanto quanto queriam”

julho 26, 2009

(Direção Semanal – 26 de julho de 2009)

João 6, 1-15

A graça abundante de Deus é o que nos vem falar o Senhor esta semana.
O milagre da multiplicação dos pães não era exatamente novidade, Eliseu já havia feito isso em II Reis 4, 42-44. O que Jesus queria ensinar ao povo ia muito além do que alimentar 5 mil com 5 pães, o que para nós já seria bastante.Quando ouvi a proclamação desse Evangelho na Igreja meu coração se encheu quando o padre leu: “tanto quanto queriam”. Como assim, tanto quanto queriam? Não eram poucos pães e menos peixe ainda? Se cada um comesse o quanto quisesse não faltaria aos outros irmãos que também estavam com fome? Mas o Senhor, pelo exemplo do pão, falava da graça de Deus. Recebemos de Deus tanto quanto quisermos. Se o buscarmos pouco, pouco o conheceremos e pouco receberemos Dele. Tanto mais o querermos, mas o teremos em nossas vidas. E a graça que nos enche, também transbordará para todos que estão perto de nós. Os doze cestos que sobraram representavam as 12 tribos do povo de Deus, ou seja, a graça derramada por causa de alguns atinge a todos. Quando nós buscamos a Deus, aqueles que estão perto de nós, aqueles a quem amamos e oramos por eles, também recebem dessa graça. A graça de Deus supera os nossos limites. Supera todos os limites humanos e nos alcança. Necessário nos é um coração disposto a receber o milagre da graça de Deus em nossas vidas. Nesse Evangelho nos deparamos com duas atitudes, que podem ser nossas: a de Felipe, que olhando para a realidade a sua frente nem deu chance ao plano de Jesus. Ele analisou suas possibilidades humanas e concluiu que não poderia alimentar aquele povo. Ou então podemos agir como o menino e o apóstolo André que apresentaram a Jesus o que tinham, mesmo sabendo ser pouco. Se Jesus mandou alimentar o povo, Ele mesmo daria condições para tal. Os apóstolos já estavam caminhando com Jesus há algum tempo, já haviam visto seu poder, mas na hora que era necessária uma atitude deles é que Jesus pode ver quem realmente aprendeu por estar com Ele. Quando Jesus diz: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?”, Jesus, como diz a própria Palavra, já sabia o que ia fazer, mas queria saber qual seria a reação dos discípulos, eles confiariam em Jesus e o obedeceriam, ou olhariam para a realidade a sua frente e questionariam. A graça está a nossa disposição, se crermos. Diante das dificuldades, dos sofrimentos, das situações difíceis do nosso dia a dia, dos impossíveis da missão, o Senhor quer realizar a multiplicação, a multiplicação da graça, que nos enche, que nos transborda e atinge a todos que amamos, a todos que estão perto de nós. Peçamos ao Espírito Santo que nos ensine a crer incondicionalmente na graça de Deus. Que sejamos sempre abertos e obedientes à Sua voz e ao Seu mover. E a graça nos transbordará.

Oremos:
“Espírito Santo, Graça derramada sobre nós, fazei de nós vasos transbordantes de Tua Presença. Fazei de nós um povo obediente e corajoso para viver os milagres de Deus, sempre presentes em nossas vidas. Queremos ter atitudes de fé diante das tantas realidades de nossa vida e missão. Queremos mais de Ti e sabemos que, quanto mais queremos e buscamos, mais temos do Teu Amor e Mover. Em Nome de Jesus. Amem”.

No Amor do Amado

Carol

Anúncios
h1

Missão em Juiz de Fora!!!

julho 25, 2009

Deus é maravilhoso!!! Preparou um tempo oportuno e um povo que O deseja para nos receber aqui em Juiz de Fora. Em todos os lugares que vamos vemos o Amor de Deus sendo derramado e nos sentimos gratos a Ele por nos usar em Sua obra.

Desde o primeiro dia estamos vendo o quanto a missão nos revigora, nos anima, nos fortalece e encoraja a continuar a caminhar!!! Já estou ouvindo os testemunhos das músicas do cd por aqui, está uma benção!!!

Depois escrevo mais, precisam do computador aqui, agora…

Não temos internet aqui todos os dias, como tenho em casa, por alguns estão reclamando que estou ausente, mas não estou!!! O coração permanece ligado, só não tenho condições de escrever aqui ou falar com todos, todos os dias!!!

No Amor do Amado

Carol

h1

MIssão em Juíz de Fora

julho 20, 2009

Olá queridos irmãos,
Hoje começamos nossa missão em Juiz de Fora/MG. Ficaremos aqui até 2 de agosto…espero ver muitos milagres de Deus e sei que Ele quer operar. Sinto meu coração arder por essa cidade, por esse povo. A Comunidade Adorai tem uma casa aqui e todas as vezes que vimos para cá é benção, é graça.

Estou disponível ao mover do Espírito, que age além dos meus limites…pois a obra é Dele e não minha…

Aos poucos vou partilhando aqui como está a missão nessa cidade abençoada…

No Amor do Amado

Carol

h1

Vencendo os preconceitos

julho 20, 2009

(Direção Semanal – 20 de julho de 2009)

Efésios 2, 13-18

Irmãos: 13Agora, em Jesus Cristo, vós, que outrora estáveis longe, vos tornastes próximos, pelo sangue de Cristo.
14Ele, de fato, é a nossa paz: do que era dividido, ele fez uma unidade. Em sua carne ele destruiu o muro de separação: a inimizade.
15Ele aboliu a Lei com seus mandamentos e decretos. Ele quis, assim, a partir do judeu e do pagão, criar em si um só homem novo, estabelecendo a paz.
16Quis reconciliá-los com Deus, ambos em um só corpo, por meio da cruz; assim ele destruiu em si mesmo a inimizade.
17Ele veio anunciar a paz a vós, que estáveis longe, e a paz aos que estavam próximos.
18É graças a ele que uns e outros, em um só Espírito, temos acesso junto ao Pai.

Jesus Cristo reuniu em Si todos os povos, os que eram divididos, Nele são um só. Será que essas palavras tem frutificado em nossos corações? Aprendi que a Palavra de Deus é sempre atual e tudo que foi escrito a mais de mil anos serve para nós, hoje, como se fosse escrito em nosso tempo. Essa é a graça que o Espírito Santo faz: atualizar a Palavra de Deus. Talvez, ao lermos as cartas de São Paulo e vermos o quanto o povo judeu era preconceituoso com outros povos, temos vontade de condená-los, mas, muitas vezes, olhando para nossas vidas, nossas atitudes, vemos que agimos da mesma forma com aqueles que não pertencem ao nosso “grupo”, comunidade cristã, denominação. Muitas vezes ouvi irmãos católicos criticarem evangélicos e também ouvi o contrário. Pior ainda é quando ouço irmãos da mesma denominação falando mal uns dos outros. Ora, se somos divididos não somos o povo de Jesus Cristo. Ele veio para unir o que estava dividido, para reunir um povo de reis e sacerdotes para Seu Pai. A Palavra em Efésios diz que, por meio da Cruz, Jesus destruiu toda inimizade, trouxe a paz e, em um só Espírito, deu-nos acesso ao Pai. Seja em cultos ou missas, seja em grupos de oração, pastorais, movimentos, somos chamados à unidade no Espírito, que age em cada um conforme a graça de Deus. Estamos vivendo o tempo de vencer os preconceitos contra os irmãos. A partir de nossos grupos, de nossas famílias, nossas igrejas, até alcançar a Igreja de Cristo. Vencer os preconceitos de que todos devem orar da mesma forma, falar do mesmo jeito, quando o Espírito é rico em dons. Vencer os preconceitos é dar passos em direção ao outro e fazer real a unidade, tão sonhada por Jesus. Quando damos passos em direção aos irmãos, outros irmãos, que ainda não crêem dão passos em direção ao Senhor. Nosso testemunho de amor, de unidade é a maior pregação que podemos fazer diante de um mundo tão dividido.

OREMOS: A começar em nós, Senhor, que a unidade, tão desejada por Ti, possa ser real em nossos dias. Que nossa geração possa ver a Tua Glória revelada a nós quando O adoramos, juntos, em espírito e em verdade. Em Nome de Jesus, amém.

No Amor do Amado

Carol

h1

Direção Semanal – 12 de julho de 2009

julho 13, 2009

Fixos nas Promessas
Ler o Salmo 123(Se o Senhor não estivesse a nosso lado…)
Esta semana contemplamos, mais uma vez, o cuidado de Deus com Seu povo. Se lermos a Palavra, a história do povo de Deus, veremos que o Senhor nunca deixou Seu povo desamparado. Em todos os momentos Ele estava cuidando, animando, fortalecendo e fazendo Seu povo caminhar. Em nossa vida não é diferente. Olhando para nossa história podemos dizer como o salmista “Se o Senhor não estivesse ao nosso lado, que o diga Israel neste momento; se o Senhor não estivesse ao nosso lado, quando os homens investiram contra nós, com certeza nos teriam devorado no furor de sua ira contra nós.”
Nossa segurança está em Deus. Segurança de saber que onde formos, em tudo que fizermos, Ele estará junto, estará cuidando de nós e nos ajudando a permanecer na Sua vontade. Permanecer na vontade de Deus nem sempre é fácil. Imaginem o povo hebreu no Egito. Por mais dura que fosse a vida naquele lugar, eles tinham certeza de casa e comida, mas como sabemos isso não é tudo na vida de alguém. De que adianta ter casa e comida e não ser feliz, e não ter liberdade de corpo e de alma? A única alternativa para aquele povo era sair de lá. Abandonar a “segurança” do Egito e ir além, atrás de uma promessa de Deus: uma nova terra, um novo lugar, uma nova vida. Mas, acredito que, assim como é difícil para nós, hoje, largar tudo para seguir a Deus, para aquele povo também foi. Difícil abandonar, por mais terrível que seja, uma realidade por uma promessa. No entanto, todos que tiveram coragem de fazer isso receberam o cumprimento das promessas. Não há que confiou em Deus e tenha sido abandonado. Mesmo que demore, como demorou 40 anos para o povo de Deus, no deserto, a promessa vem, se cumpre.
A Palavra para essa semana é essa: Permanecemos no Senhor, Ele nos ajudará! Ele defenderá nossa causa e nos levará além do deserto que possamos estar vivendo agora. O importante é confiar na promessa. Quando não tiramos os olhos de tudo que o Senhor nos prometeu conseguimos superar as tribulações, pois sabemos que são passageiras, ao contrário da Palavra de Deus, que é eterna. Talvez, muitos de nós não conseguem vislumbrar a promessa de Deus pra Sua vida, mas a primeira promessa que Ele nos fez é a de Vida, e Vida em abundância. Se estamos vivendo momentos de morte, olhemos para Aquele que nos prometeu Vida, em todas as áreas de nossa vida. Se o Senhor caminha conosco, não temos nada a temer, Ele é nossa Vitória e nossa Segurança.
Vamos orar juntos:
“Senhor Jesus, Tu és o Deus da Vida, da Vida plena e abundante. Peço Teu olhar sobre a minha vida nessa hora. Olha pra mim, Senhor, e vê os momentos em que eu quis desistir, quis voltar atrás, preferi viver na escravidão que lutar pela liberdade, que é herança dos que se entregam a Ti. Amado Jesus, derrama, mais uma vez, sobre nós Teu Espírito, dá-os coragem se abandonarmos todas as falsas seguranças e caminharmos em direção à Tuas promessas. Queremos viver tudo aquilo que o Senhor preparou e sonhou para nós. Tu és o alvo do nosso coração e queremos estar sempre com os olhos fixos em Ti, Promessa cumprida do Pai. Te louvamos, por nos manter de pé e caminhando. Te louvamos por nos amar e firmar nossos passos. Te louvamos por não desistir de nós, quando queremos desistir de tudo e por não retirar Sua Promessa das nossas vidas.
Tu és nosso Deus e nós somos Teu povo! Amém.”

“Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?” Romanos 8,32
No Amor do Amado
Carol

h1

Olhando para nossa história

julho 8, 2009

Esses dias os Senhor tem falado algo ao meu coração, que tenho partilhado com algumas pessoas e senti vontade de escrever aqui tb.

Muitas coisas acontecem em nossas vidas que não compreendemos. Tantas situações, circunstâncias, dificuldades, não conseguimos olhar pra frente e perceber onde isso tudo nos levará. Muitas vezes me senti assim. Quantas vezes as situações me faziam parar, por não saber ondeme levariam. Quantas vezes em meu ministério momentos dificeis me faziam achar que não aguentaríamos passar por ele, mas o Senhor me ensinou algo tremendo: É olhando pra trás que podemos entender, e não pra frente.

Nada sabemos do futuro, somente que colhemos o que plantamos, se plantamos o bem, o bem colheremos e se plantarmos o mal, o mal colheremos. Pude perceber isso quando comecei a relembrar das pessoas que passaram por nosso ministério de música. tantas pessoas maravilhosas, cheias de dons e carismas, mas que foram embora. Como eu sofria quando as pessoas iam embora, parecia que não conseguiriamos continuar o minsitério sem elas. Muitas vezes perdemos líderes na Comunidade, pregadores, cantores, servos, amigos, irmãos. E no momento que saiam parecia que levavam nossas vidas e toda possibilidade com eles.

Mas hoje, olhando para nossa história, vejo como foram necessárias todas essas saídas, como foi necessário o sentimento de abandono em meu coração. Primeiro, percebo que por causa disso me apeguei mais ao Senhor, Ele é o único que não me abandona e, depois, por que os irmãos saíram pude abrir meu coração ao chamado de Deus para a liderança. O Senhor pôde me levantar por que eu percebi que precisava assumir um lugar que agora estava vazio, e que na verdade era o meu lugar. No momento, não entendi, não conseguia ver onde chegaríamos sem aqueles irmãos, mas hoje, olhando para trás, entendo que foi necessário o corte, para que pudéssemos estar onde estamos hoje e continuar caminhando.

O que sinto irmãos, é que muitos de nós estamos passando por provações intensas nesse tempo e tentamos entendê-las, tentamos ver onde isso nos levará. Olhemos para nossa história: alguma vez nos abanonou o Senhor? Alguma vez Ele deixou de nos ajudar? Com certeza, não! E não será diferente agora! Mesmo que pareça difícil escolher o caminho do Senhor nesta hora, mesmo que pareça que não vams chegar a lugar algum, ou que estamos perecendo.

É momento de firmarmos nosso coração nas promessas de Deus pra nós, sabemos que Ele é o caminho que devemos trilhar, caminho que não decepciona, que nos fa colher bons frutos sempre.

Permaneçamos no Amor do Amado,

Carol

h1

Direção Semanal – 6 de julho de 2009

julho 6, 2009

Este homem não é o carpinteiro, filho de Maria?

Sempre que ouvimos esta Palavra pensamos que o povo de Nazaré não soube aproveitar a presença de Jesus. Acabamos os condenando por não ter fé e achamos que se estivéssemos lá daríamos a Ele a atenção devida, mas esquecemos que nós ainda fazemos o mesmo aqui em nossas comunidades, em nossas famílias. Quando não aceitamos a autoridade dada por Deus aos irmãos, quando não damos atenção às palavras que o Senhor dá aos padres de nossas paróquias, ou ao pregador do nosso grupo de Oração, ou ao irmão que antes era contrário à fé, mas agora se converteu. Há pessoas que esperam ansiosas por um Encontro onde este ou aquele pregador virá e perde a oportunidade da cura, por que não acredita que Deus pode usar aquele irmão com o qual ela convive. Com certeza, não estamos diminuindo a unção dos irmãos que vêem em missão para nossa terra, daqueles que vem pregar, cantar, ministrar sobre nossas vidas, o Senhor age imensamente através deles, mas não podemos desacreditar na obra que o Senhor faz diante dos nossos olhos. Este ano a Igreja começou o ano sacerdotal, de junho de 2009 a junho de 2010, estaremos orando por nossos padres, por aqueles que entregaram suas vidas a Jesus e ao Seu povo. Será que temos sido benção para nossos padres? Temos orado por eles, dado atenção, ajuda. Será que realmente temos sido família de Deus para os Sacerdotes que o Senhor colocou perto de nós? Ou temos negligenciado sua unção por conhecê-los como pessoas, como homens, iguais a nós. Não somente os Sacerdotes, mas nossos irmãos de missão. Temos levado sempre em conta seus pecados, suas falhas, seus erros e temos desacreditado no poder e autoridade dados por Deus a ele? Ora, do menor Deus faz o maior, do simples, faz prodígios, o que importa é um coração contrito e aberto ao Espírito e todas as coisas acontecerão. Erros, pecados, sempre teremos em nós e perto de nós. Também aqueles pregadores, cantores, ministros que respeitamos, tem seus erros, suas falhas, seus pecados, e, com certeza, os colocam diante de Deus, para que Ele os perdoe, cure e use. Será que temos acreditado na unção de Deus derramada em nossas próprias vidas? Durante muito tempo tive medo de ministrar sobre os irmãos, tinha sempre diante de mim meus erros, minhas falhas, até o dia em que o Senhor abriu meus olhos para a Sua realidade: Não sou eu quem faço, é o Senhor! Se formos esperar o dia em que não teremos errado nada, não tenhamos pecado algum, nunca serviremos a Deus, nunca abriremos a boca para abençoar os irmãos. Como o Senhor disse a São Paulo, hoje nos fala também: “Mas ele disse-me: “Basta–te a minha graça, pois é na fraqueza que a força se manifesta”. (II Cor 12,9).Que Jesus não passe por nós sem fazer milagres, sem deixar marcas, sem derramar profundo Amor em nossas vidas. Estejamos atentos ao mover e à Presença de Deus nos irmãos e em nós mesmos. Ele é poderoso para fazer infinitamente mais do que pedimos ou pensamos, em nós, através de nós e através daqueles que Ele coloca em nossos caminhos, famosos, ou não.
No Amor do Amado
Carol