Archive for novembro \30\UTC 2009

h1

O tempo de Esperar!!!

novembro 30, 2009

Estamos entrando em mais um ano litúrgico. Iniciado pelo Advento. Mas o que é esse tempo? O que é Advento? Por que precisamos vivê-lo?

Advento é espera. O tempo da Vinda do Senhor. Enquanto nos preparamos para viver o Natal, também nos preparamos para a segunda vinda de Cristo. O Natal é a celebração do Deus que se fez homem, sem deixar de ser Deus. É a celebração Daquele que nos amou a ponto de se fazer como nós, de estar perto de nós. Muitas vezes, nós esquecemos de nos preparar como convém para esta festa tão linda do Nascimento do Senhor. Nos preocupamos com a Arvore , com o Presépio, com a festa, com os presentes, mas nosso coração fica vazio e , muitas vezes, o Natal passa como qualquer festa ou feriado para nós. Mas não podemos esquecer que celebrando a primeira vinda de Jesus anunciamos a segunda. Nós somos o povo que crê na Promessa. Ele prometeu que estaria conosco, que voltaria para restaurar a terra. E como sabemos que a terra precisa ser restaurada.

E é no advento que nosso coração se prepara para este encontro com o Senhor.
O Advento é como a peregrinação dos povos a Jerusalém. Todos os anos de onde estivessem, o povo do Senhor saía em direção à Jerusalém para adorar o Deus vivo. Durante o caminho eles cantavam, oravam, partilhavam as maravilhas de Deus, louvavam, choravam por suas terras e família, enfim, preparavam seus corações para o grande encontro. Assim, também nós, no tempo do advento, preparamos nosso coração com oração, louvor e testemunho para o Senhor. A diferença é que é o Senhor quem vem.

Ele vem! Ele está perto! Ao celebrarmos a vinda do Senhor histórico, celebramos a Sua Presença em nosso meio e Sua segunda e definitiva vinda. Não é uma celebração morta. Não estamos revivendo um acontecimento que teve seu espaço no tempo e passou. Estamos nos preparando para que, quando o Senhor chegar, não nos encontre dormindo.
Este tempo enche nosso coração de expectativa, do desejo de ver o Senhor agir. É agora o momento de apresentarmos a Ele toda nossa vida, nossas situações. Ele vem restaurar, avivar, amar seu povo, mais uma vez pedir pra nascer em nossas vidas, para estar conosco, até o dia em que virá para sempre. Não percamos este tempo. Não seja apenas mais um Natal em nossas vidas. Aproveitemos para fazer propósitos de fé, para dar testemunho do Amor de Deus.

Creia que o Senhor virá e , como nos diz a Palavra: “Quando o perfeito vier o imperfeito desaparecerá!” (I Cor 13,10) e nós queremos ver o Perfeito.
Seja este tempo o tempo de aprender a esperar o Senhor. Não podemos viver o Advento somente no tempo proposto pela Igreja Católica, mas nós somos o povo que caminha e espera o Grande Dia em que o Noivo virá resgatar Sua Amada e viveremos eternamente diante Dele.

“Esta é a voz daquele que grita no deserto:‘Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas estradas!’” Marcos 1,3

No Amor do Amado
Carol

Anúncios
h1

Amizade que não passa

novembro 24, 2009

Mais e mais o Senhor tem nos chamado a conhece-lo. Fomos criados para o amor, para o relacionamento com Deus. Em Genesis, lemos que Deus caminhava lado a lado com o homem, conversava com Ele, se relacionava, mas o homem decidiu por afastar-se de Deus.

Quando pensamos em Adão, corremos o risco de colocar sobre sua história o peso da distância de Deus, no entanto, se olharmos para nós, veremos que muitas vezes agimos com o Senhor da mesma forma. NOssa ganância e orgulho nos levam a escolhas que satisfazem-nos momentâneamente, mas que depois veremos que não agrada ao Senhor e enfraquecemos nosssa amizade com Ele. Não por Ele, por que nos ama incondicionalmente, mas por nossa causa.

As vezes quando ferimos um amigo, mesmo que ele diga que nos perdoa e que nos ama, nosso coração também se fere e acabamos, por vontade própria nos afastando. Com Deus é assim também.

O inimigo de Deus planta em nós a culpa, a não aceitação do perdão e nos afastamos do nosso Amigo.

Jesus é o Amigo que precisamos, Ele nunca nos abandona, mesmo que o abandonemos, Ele nunca mente para nós, não nos desampara, Sua amizade não passa.

VAmos nos deixar apaixonar de novo e sempre mais pela amiza de de Deus, pelo próprio Deus.

Criados para o Amado!!!

Carol

h1

Relacionamento

novembro 23, 2009

A Palavra para nós essa semana é RELACIONAMENTO. Quantos de nós tem se tornado operários do Reino e esqueceram-se de ser amigos de Jesus. O próprio Senhor nos diz na Palavra: “Já não vos chamo servos, mas vos chamo amigos!”, mostrando que relacionamento quer ter com cada um de nós.

Duas passagens bíblicas nos fazem refletir sobre isso:
1- Jó 42, 5 : “Antes eu ouvi falar de Ti, mas agora os meu próprios olhos te viram”
2- Lucas, 10, 40-42 : “ Marta, porém, andava preocupada com muito serviço; e aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá que minha irmã me tenha deixado a servir sozinha? Dize-lhe, pois, que me ajude.

Em ambas as citações nos deparamos com servos do Senhor. Servos fiéis, que a todo custo cumpriam a vontade de Deus. Jó era temente a Deus, cumpria os mandamentos e era fiel à Lei. Marta, irmã de Maria, não era diferente, com seu serviço queria agradar ao Senhor de toda forma. No entanto, a Palavra nos relata que ambos não conheciam a Deus.

Conhecer é relacionar-se. Podemos cruzar o caminho de alguém todos os dias, mas só por isso não podemos dizer que o conhecemos. Conhecer requer parar, conversar, revelar. E muitos de nós não para, não conversa e não se revela a Deus e também não deixa Deus se revelar, tornando-se assim apenas servo, aquele que faz o que deve ser feito e nada mais. Até cumprimos com nossas tradições de oração, vamos às Celebrações, grupos de Oração e tudo mais, mas cruzamos com o Senhor sem deixá-lo realmente se relacionar conosco.

Para Marta, Jesus responde: “Marta, Marta, estás ansiosa e perturbada com muitas coisas; entretanto poucas são necessárias, ou mesmo uma só; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.”
Quantas vezes nos ocupamos tanto com nossos trabalhos, ministérios, vidas, que não deixamos espaço para nosso relacionamento com o Senhor. Vamos nos enchendo tanto das preocupações que nem percebemos a distância a qual o ativismo tem nos levado. A ponto de acharmos que o Senhor é obrigado a nos dar sua unção pelo tanto que fazemos, quando a unção é conseqüência do relacionamento. Não é troca, a Presença de Deus causa o milagre, causa o mover, mas ela só está quando a colocamos em primeiro plano, quando escolhemos a melhor parte, que é o Próprio Senhor.

O Senhor convida você e eu a repensarmos nosso relacionamento com Ele. Estamos buscando o Senhor pelo que Ele é, ou pelo que faz? Estamos buscando Sua Presença ou apenas o servimos por tradição ou ativismo, pelo costume de servir? Sabemos que o Senhor tem sempre mais a nos revelar. Um exemplo que o Senhor nos deu no grupo de sexta-feira passada e que nos serve agora: O Relacionamento com Deus é como alguém que entra no mar para alcançar o horizonte, quanto mais caminha mais imersos na água fica e mais longe o horizonte se faz. Ou seja, quanto mais conhecemos o Senhor, mais Dele temos a conhecer, pois infinitas riquezas Ele tem. Não importa quanto tempo temos de caminhada, o Senhor sempre tem mais. Às vezes, muitos caminham há tanto tempo com o Senhor, sem conhecê-lo, como Jó, que quando o conheceu pôde reconhecer: “meus próprios olhos te viram!” e isso fez toda a diferença em sua vida. Do mesmo modo, quando nos abrimos ao relacionamento com Deus a nossa vida recebe um sentido maior, o que fazemos recebe sentido.

Pare, converse e se revele a Deus e deixe Ele se revelar a você, com certeza, seremos muito mais felizes e teremos muito mais sentido em que fazemos, por que conheceremos o Deus a quem servimos. Mais que servos, somos amigos!!!

No Amor do Amado

Carol

h1

O que queres que eu te faça?

novembro 16, 2009

Texto: Lucas 18, 35 – 43

A Palavra diz que Jesus estava chegando a Jericó. Um cego estava fora da cidade, pedindo esmolas. À margem da vida, totalmente alheio do que acontecia na cidade. Era deixado de lado, esquecido. Quantos já haviam passado pela vida daquele homem. Já eram comuns aos seus ouvidos os passos, a falação, o barulho das moedas caindo em seu favor. Mas, no dia em que Jesus passou,ele percebeu que algo diferente estava acontecendo. Muitos de nós vivemos à margem da vida, da nossa própria vida, mendigando qualquer coisa que as pessoas quiserem nos dar (atenção, amor, respeito, diálogo…). Sentados do lado de fora, percebemos a vida passando por nós e corremos o risco de não vivê-la. Mas Jesus passa por nós. Aquele homem percebeu algo diferente. Ainda não sabia que era Jesus. Mas, a curiosidade fez com que ele perguntasse a alguém. E a resposta: “É Jesus!” animou de tal forma seu coração que não pensou duas vezes antes de começar a gritar :”Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!”. A esperança tomou conta dele. Sabia que Jesus era o único que podia tirá-lo daquele lugar e condição. Era preciso, agora, parar Jesus e fazer com que Ele olhasse e o ajudasse. Gritar foi seu modo. E aquele homem contra tudo e contra todos que estavam a sua volta, tentando o calar, gritou. Gritou até que Jesus parou. O grito do desprezado, marginalizado, cego, mendigo….parou Jesus.Não importa nossa condição. Jesus parou para o jovem rico, para o mestre da lei, e também parou para o pobre cego que estava à beira do caminho. Por que não ouviria, também, nossa voz? Se o clamarmos de coração, ultima e única esperança da nossa vida, Ele ouvirá e se voltará para nós.

Jesus parou. Ele ouviu o clamor do cego, mas não foi até ele. Jesus poderia ir até onde aquele homem estava, mas desejou que ele saísse do seu lugar. Ajudado por alguns que entenderam que o Reino de Deus é amor e inclusão, aquele homem se aproximou de Jesus e ouviu a pergunta mais esperada de sua vida: “O que queres que eu te faça?” A mesma que o Senhor faz pra nós hoje.Quantas coisas se passam em nossas mentes? Quantos desejos temos? Quantos sonhos? Quantas coisas e problemas pra resolver? Com certeza, tudo isso se passou na mente e coração daquele homem. Poderia pedir dinheiro, riqueza, para que pudesse sair daquele lugar, poderia pedir que as pessoas o amassem, que sua família o respeitasse e o recebesse. Muitas coisas. Mas ele pediu: “Senhor, que eu veja!” . Imaginem as conseqüências desse pedido. Curado, teria que sair da beira do caminho, não poderia mais mendigar, pois teria condições de trabalhar e assumir a própria vida. Assumir a própria vida. Conseqüência da cura: ter a responsabilidade de viver. Por isso, Jesus pergunta, quer saber se realmente aquele homem, e nós hoje, queremos receber a cura e, com ela, a responsabilidade de viver.

“O que queres que eu te faça? Estás pronto para assumir sua vida? Abandonar a beira do caminho e se colocar a caminho? Caminhar comigo? Vida em abundância é a promessa para aquele que tem coragem de sair do seu comodismo e pedir a cura.”
Tenhamos coragem de clamar ao Senhor que nos cure, nos tire da margem e nos coloque no caminho do Reino. Se for preciso grite: “Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”, mas não deixe o Senhor passar sem que toque sua vida. Não perca a oportunidade de ser restaurado pelo Senhor, que só espera que O clame.

Vamos orar juntos:

Senhor Jesus, Tu que conheces nossas vidas e corações. Sabes de nossas cegueira espiritual e o quanto temos ficado à margem. Clamamos a Ti, nesta hora, sara-nos, restaura-nos e faz-nos caminhar, assumir nossa vida contigo e viver a vida abundante que Tu tens para nós. Não passe por nós sem parar e nos tocar, Senhor. Te adoramos e somos gratos pela Salvação que conquistastes para nós. Gratos por nos ouvir todas as vezes que clamamos e por derramar cura em nossas vidas. Tu és poderoso para transformar a nossa realidade. Filho de Davi, tem misericórdia de nós.Amém.

No Amor do Amado

Carol

h1

A Expectativa que nos abre à graça

novembro 9, 2009

Marcos 5:“25 E certa mulher que, havia doze anos, tinha um fluxo de sangue, 26 E que havia padecido muito com muitos médicos, e despendido tudo quanto tinha, nada lhe aproveitando isso, antes indo a pior; 27 Ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua veste. 28 Porque dizia: Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei. 29 E logo se lhe secou a fonte do seu sangue; e sentiu no seu corpo estar já curada daquele mal. 30 E logo Jesus, conhecendo que a virtude de si mesmo saíra, voltou-se para a multidão, e disse: Quem tocou nas minhas vestes? 31 E disseram-lhe os seus discípulos: Vês que a multidão te aperta, e dizes: Quem me tocou? 32 E ele olhava em redor, para ver a que isto fizera. 33 Então a mulher, que sabia o que lhe tinha acontecido, temendo e tremendo, aproximou-se, e prostrou-se diante dele, e disse-lhe toda a verdade. 34 E ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal.”

A Palavra para nós essa semana é expectativa. Expectativa nas obras do Senhor, no Seu mover, na Sua graça.

Vamos meditar sobre o encontro de Jesus com a hemorroísa.

Uma mulher com um problema de saúde que transtornava sua vida. Um fluxo de sangue que durante 12 anos a privou de qualquer relacionamento familiar ou social. Junto com o sangue, via sua vida ir embora com o passar dos anos. Mas ela ouviu falar de Jesus e a expectativa encheu seu coração. Sabia que se “esse homem” era poderoso como haviam falado, ele poderia a curar, da doença e das humilhações que já havia passado. Aquela mulher sabia que não podia falar com Jesus, sua condição a colocava como impura e se o tocasse, ele também ficaria impuro. Acredito que ela tenha se infiltrado na multidão escondida. As pessoas não poderiam saber que ela estava lá, seria mais uma humilhação.

Mas ela ouviu falar de Jesus. Ouviu sobre as curas, os milagres, as libertações, sobre como ele tratava as pessoas, os “pecadores”. E expectativa aumentava cada vez que um testemunho chegava aos Seus ouvidos e agora, Ele estava lá, passando por ela. Não podia perder a oportunidade. Já havia gastado seu dinheiro e suas forças com tentativas de cura, talvez já tivesse desistido, até ouvir falar de Jesus. Ele podia. Ele estava fazendo coisas que ninguém fazia. Tocando e curando as pessoas. Mas o que fazer se ela não podia falar com ele, muito menos tocá-lo?

Ir por traz. Escondida, disfarçada. Seu coração acreditava que se tocasse na roupa de Jesus poderia ser curada. A expectativa do poder de Deus sobre Jesus abriu o coração daquela mulher à cura. Consciente de sua condição, não querendo expor-se , com medo da humilhação decidiu apenas tocar as vestes de Jesus.

E quando tocou, sua expectativa não foi frustrada , Jesus voltou-se e perguntou quem o havia tocado. Aquela mulher que vivia escondida, humilhada, teve coragem de assumir que havia sido ela. Jesus então olha pra ela e diz: “Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal.” Por que muito esperou no Senhor, muito recebeu e ainda mais. Quando nos colocamos na presença do Senhor com o coração expectante é como se abríssemos as janelas e as portas de nossa casa para que por todo lado a luz possa entrar. Quanto mais esperamos do Senhor, mais nos abrimos, mais Ele se revela, mais nos toca, mais nos cura. A Palavra, mais uma vez, nos mostra que a cura é conseqüência do relacionamento. Jesus para e fala com a mulher. A fé, a expectativa, a levou até Jesus, a abriu à graça, à cura que re concretizou quando Jesus falou com ela. O relacionamento com Jesus trouxe cura, paz e salvação. Aquela que ouviu falar, agora falava com Jesus.

Queremos falar com Jesus. Assumir nossa condição, nossa realidade e tocá-Lo. Com certeza, o Senhor se voltará para nós e falará conosco e esse relacionamento trará cura, paz e salvação para nossas vidas. Queremos esperar sempre mais do Senhor, não importa o que já temos visto e ouvido Dele, sempre tem mais. Sempre tem mais para o Senhor fazer em nossas vidas, sempre em mais a ser transformado em nós, sempre tem mais do Seu Amor para conhecermos.

Que o nosso coração se encha dessa expectativa: Sempre tem mais! E que vivamos na Presença desse Deus de Amor que deseja restaurar nossas vidas.

Vamos orar Juntos:
Amado Jesus, te louvamos pelo teu amor que não nos deixa sair de tua presença sem que o Senhor fale conosco. Te agradecemos por querer um relacionamento conosco, mesmo quando nosso coração está ferido e desgastado. Que teu Espírito gere em nós, dia após dia, a expectativa por viver mais diante de Ti e conhecer-te mais. Somos o teu povo, os teus amados e queremos viver nesse Amor. Amém

No Amor do Amado

Carol

h1

“Vinde a mim …e eu vos darei descanso!”

novembro 2, 2009

“Vinde a mim todos vós que estais cansados e fatigados sob o peso de vossos fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e vós encontrareis descanso. Mateus 11, 28s

Fardos. Pesos. Tão comuns em nossas vidas. Quantas vezes nos encontramos até mesmo acabrunhados, com os ombros à frente, de tantas coisas que carregamos. Nossos pesos vão tomando conta de nós, a ponto de não conseguirmos mais viver sem eles.

Colocamos sobre nossos ombros os fardos familiares, missionários, fardos das responsabilidades no trabalho, nos relacionamentos, nos estudos. Nossa vida se torna um fardo, tudo para nós é pesado demais, difícil demais, e nossa alegria de viver vai sendo trocada pela angústia de não conseguirmos carregar tamanho peso.

Mas Jesus vem nos libertar desses fardos. Vem nos dar consciência de que não é o Senhor quem nos impõe tal realidade. Ele diz: “Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mateus 11,30). Somos nós mesmos que colocamos sobre nossos ombros os jugos que carregamos, as vezes impostos por nós e as vezes pelos que convivem conosco. Permitimos que outros coloquem tantas coisas em nossas vidas, tantas regras, nos impondo até mesmo um “jeito certo” de ser. Na verdade, todas essas coisas nos afastam de Deus, pois nos tiram da realidade de Salvação que Ele conquistou para nós. Perdemos de vista o que o Senhor tem para nós e voltamos nossos olhos para essas dificuldades que se tornam maiores que nós. Acabamos cansados demais para permanecer na Obra de Deus, que julgamos ser difícil e pesada, quando na verdade, os nossos fardos, como diz o Senhor é que são assim. Mesmo nas grandes aflições que possamos passar, quando colocamos nossa vida em Deus, sentimos que nosso coração, apesar das dificuldades não perde a paz, pois sabemos Quem está conosco. “Mesmo no vale da morte, não temerei, pois comigo está o Senhor” (Salmo 22/23).

Essa semana queremos entregar ao Senhor nossos fardos, nosso cansaço, nosso desânimo e deixar que Ele mesmo nos dê o descanso e tudo que precisamos. Vamos pedir também ao Senhor que nos ajude a não colocar fardos sobre os irmãos, ao contrário, que façamos da vida uns dos outros benção para todos. Aprendamos do Senhor sua mansidão e humildade e sejamos livres e libertos dos nossos pesos.

Vamos orar juntos:

Senhor Jesus, a Ti rendemos meu louvor e toda glória. Conquistastes para nós a liberdade e queremos vivê-la com intensidade. Tira de nossos ombros os fardos impostos por nós mesmo. Fardos que têm tirado de nós o gosto e o prazer em servir-Te e, principalmente, tem esgotado nosso relacionamento contigo. Queremos aprender de Ti a humildade que desfaz todo peso e a mansidão que nos impede de colocá-los sobre os irmãos. Nós somos o Teu povo e Tu o nosso Deus, faz –nos viver assim. Amém

No Amor do Amado

Carol Carolo

WWW.oespiritodiz.wordpress.com deixe seu testemunho, é muito importante para nós