Archive for julho \30\UTC 2008

h1

Em casa…

julho 30, 2008

Olá, amados…estou de volta!

Louvo a Deus pelos dias que passamos em Juiz de Fora. Quando soube que ia pra lá, sabia que Deus não estava me levando apenas para um curso de canto, por mais maravilhoso que tenha sido.

Já na primeira semana, Deus levou-nos à missão. Eu e a Daiana fomos convidadas a dar uma formação a dois ministérios de Juiz de Fora, lá de Benfica. Como foi maravilhoso. Sei que o Senhor nos levou lá para nós mesmo rever nossa visão ministerial. Lembro de que quando estávamos no carro orando a caminho do local, diziamos ao Senhor do nosso cansaço, do tempo que não tivemos de preparar nossa pregação e como gostaríamos de abençoar os irmãos que estariam naquele lugar. O Senhor nos lembrou a palavra onde Ele diz: “Não vos preocupeis com o que deveis falar, eu mesmo falarei em vós!” e colocou em nossos corações a certeza de que Ele faria e falaria através de nós. Foi o que aconteceu…tremendooooo!!!! Ainda terei a oportunidade de escrever as maravilhas que o Senhor nos ensinou naquele dia. Aliás, partilho que todas as vezes que me encontro com aquele ministério amo-os de todo coração, como se fossem parte da Comunidade..sei que Deus tem planos maravilhosos para eles.

O curso que fomos fazer foi muito bom. Levar a Orquestra Jovem também, pudemos nos conhecer melhor, confrontar nossas limitações e, com certeza, essa viagem nos fez mais próximos.

Foi a primeira vez, depois de casada, que fiquei tanto tempo longe de casa, longe do Marcelo. Me questionei muitas vezes se é essa mesmo a vida que eu quero pra mim…estar sempre em missão, mesmo que o Marcelo não esteja comigo. Sei que foi apenas um experimentar do que Deus tem pra mim…e Ele sabe que pode me levar onde quiser. Minha resposta era sempre “sim”.

Ao chegar em casa, tanto eu quanto o Marcelo tínhamos muito a contar, muitas bençãos aconteceram por aqui enquanto eu não estava, então foi muito gostoso ouví-lo contar, entusiasmado, algo novo pra mim. Esse tempo que ficamos longe só nos faz perceber o quanto somos realmente um do outro e como o amor que Deus nos deu é lindo.

Voltando um pouco a Juiz de Fora, Deus nos levou a adora-lo o tempo todo e deu-nos o presente de iniciar e terminar nossa estadia lá em eventos Seus. A nossa participação na Orquestra e Coro Colonial não foi tão linda ( e foi maravilhosa) quanto a Missa que tocamos (à capela) no primeiro domingo e o encontro de Adoração que tivemos no ultimo domingo…abrimos e fechamos com chave de ouro…obrigada,Senhor.

De todo coração, sou grata Deus pelo que faz por mim, pelos lugares que me leva, pela missão…pelo amor que demosntra todo tempo…

Bom…acho que é isso…

No Amor do Amado

Carol Carolo

(eu estou aí…rsrs..na primeira fila da esquerda pra direita…a segunda cantora…o Cassiano tambem está e a Daiana na Orquestra…)

Anúncios
h1

A Adoração que o Pai procura

julho 29, 2008

Olá amados, estou de volta á Varginha…em casa…graças a Deus..logo estarei colocando um post sobre como foi abençoada nossa estadia em Juiz de Fora, mas antes acrescento o texto da semana…sejam abençoados em Nome de Jesus…

Texto base: João 4, 21-24

Atrair os olhos de Deus, Sua Presença, Seu mover é o desejo dos nossos corações. Somos chamados a ser adoradores. Os adoradores que o Pai procura.

Mas o que é adoração? No dicionário, a palavra adoração significa: “Render culto Venerar. Amar extremamente, idolatrar”. Em hebraico, significa ajoelhar-se, dobrar-se diante do Senhor. Em grego, significa aproximar-se dele e beijar a Sua mão. Adorar não é reservar, apenas, um tempo para estar com o Senhor, apesar de sabermos que este tempo separado para Ele nos é precioso. Adoração é demonstração, em tempo integral, de amor a Deus.

A maioria das pessoas, quando ouvem a palavra adoração pensam na Igreja reunida, diante de Jesus, que não deixa de ser adoração, mas é apenas uma das muitas expressões de adoração que podemos dar a Deus.

Quando reconhecemos que Deus é o único que pode nos curar, como o leproso de Mateus 8, 1-4; intercedendo por alguém, reconhecemos o poder de Deus, confessamos nossa fé Nele, como em Mateus 8,5-13, quando nos prostramos diante Dele e damos o nosso tudo (como vimos no estudo sobre derramar-se diante de Deus), quando damos oferta na Igreja, o dízimo, como a viúva, que deu sua ultima moeda no templo (Lucas 21, 1-4). Tudo o que vivemos nas nossas 24 horas diárias pode ser adoração a Deus.

O Pai procura adoradores em espírito e em verdade. 24 horas por dia, 7 dias na semana. Tudo que fazemos em nossas casas, nossos trabalhos, nosso lazer, nossos relacionamentos. Tudo podemos oferecer a Deus como adoração, pois para o louvor de Sua glória fomos criados. Quantos de nós nem se dá conta do milagre da vida, tão frágil, todas as manhãs quando acorda. Ou oferece a Deus o emprego, tão desejado por tantos, a família, a condição financeira. Em Tiago 1,17 diz: “Toda dádiva boa e todo dom perfeito vêm de cima: descem do Pai das luzes, no qual não há mudança, nem mesmo aparência de instabilidade.” E nós nunca paramos pra pensar que tudo de bom que conseguimos veio das mãos do Senhor, que é Ele mesmo quem nos dá ânimo todos os dias para prosseguirmos, acreditarmos em nossos sonhos, nos esforçarmos.

Um testemunho: quando comecei a cantar era muito desafinada, muitos amigos me falavam pra eu desistir, fazer outra coisa pra Deus. Mas, no meu coração sentia o desejo de cantar pra Ele. Essa era um das expressões de amor que eu desejava dar ao Senhor. Mal entendia eu que era o próprio Senhor que me dava, e ainda dá, ânimo todos os dias para eu querer estudar e me esforçar para melhorar. Hoje, estou na faculdade de canto, ainda lapidando meu dom e posso dar ao Senhor minha voz como adoração, mesmo quando não canto músicas religiosas, como é o caso da faculdade.

Aqueles que reconhecem o Senhor, que O agradam e andam em Sua Presença, aprendem do próprio Deus como adorá-lo e oferecer o próprio viver como culto espiritual a Deus (Romanos 12,1). Quando adoramos a Deus em espírito e em verdade atraímos o olhar do Senhor sobre nós e respondemos ao chamado do Pai, que aguarda ansioso por nossa adoração.

Talvez possamos pensar que nossa adoração não é importante, no meio de tantas outras que o Pai recebe, que não oferecemos algo interessante a ponto de atrair o olhar de Deus. Mas, a nossa adoração é única. Nenhuma pessoa, até mesmo, respira como a outra, não sorri como a outra, somos totalmente exclusivos. Então, a adoração que flui de cada um de nós é única, ninguém pode oferecê-la a Deus senão nós mesmo. Além de que, o próprio Espírito nos ajuda a dar a Deus um adoração digna) O Pai procura essa adoração. Mesmo quando estamos reunidos para adorá-Lo, cantando a mesma canção, fazendo a mesma oração, o mover do Espírito em cada um de nós, atrai a atenção de Deus, que vem em busca daqueles que realmente querem adorá-lo. Quando oferecemos nosso dia a dia ao Senhor como adoração, damos um valor maior ao que fazemos ,por que queremos atrair o olhar de Deus, agradar Seu coração e viver em Sua presença e até mesmo melhoramos no que estamos fazendo, melhoramos em nossos relacionamentos ( pois como amar a Deus a que não vemos se não amamos sua imagem e semelhança a quem vemos – I João 4,20).

Este é o convite dessa semana: transformar todos os segundos de nossas vidas em adoração, viver intensamente todo o tempo de vida que o Senhor nos dá, dando o melhor de nós a Ele no nosso trabalho, nos nossos relacionamentos, na nossa casa…

Que o Senhor encontre em nós a adoração que Ele procura. Sejamos dóceis ao Espírito que deseja adorar a Deus através de nós.

PALAVRAS PARA A SEMANA

– Mateus 2, 11 – Deuteronômio 6,13

– Salmo 62,5: Assim vos bendirei em toda a minha vida, com minhas mãos erguidas vosso nome adorarei.

– Apocalipse 14,7 – Tobias 1,1-6

– Salmo 28, 2 : Rendei-lhe a glória devida ao seu nome; adorai o Senhor com ornamentos sagrados.

-Salmo 94, 6: Vinde, inclinemo-nos em adoração, de joelhos diante do Senhor que nos criou.

– Eclo 35,20 – Daniel 14,24

PRÁTICAS CRISTÃS: a decidir pelo grupo.

A graça esteja com todos vós. Amém. Hebreus,13,25

No Amor do Amado

Carol Carolo

h1

Notícias

julho 19, 2008

Duas semanas fora de casa. A saudade já aperta, mas se que o Senhor me recompensará pelo investimento em meu ministério. Hoje de man´hã falei com o Marcelo pelo telefone e ele disse que a Vígila de Adoração ontem foi maravilhosa. Me deu muita vontade de ter estado lá, aqui não tenho muito tempo pra estar com o Senhor, por causa das aulas e da correria, mas Ele recebe o que tenho e me sustenta nesse tempo.

O curso está maravilhoso, vejo que o Senhor relamente tem me dado toda a terra onde meus pés pisam e testemunha Seu poder através de mim. E mesmo não cantando músicas religiosas sei que o Senhor usa meinha voz para alcansar os seus e curá-los.

Orem por nós, para que sejamos fiéis ao Senhor e nos deixemos guiar sempre pelo Seu Espírito.

No Amor do Amado

com muita saudade

CArol

h1

Derramar-se sem medo diante de Deus

julho 13, 2008

 

Certo dia, Jesus estava na casa de Simão, um fariseu, e uma mulher chegou e pôs –se a chorar diante dele e,quebrando o vaso de alabastro, derramou perfume sobre Seus pés e os enxugou com os cabelos. Foi repreendida pelos que estavam na casa, porém Jesus a acolheu, a perdoou de todos os seus pecados e lhe deu uma nova vida. ( Lucas 7, 36-49)

 

Aquela mulher era tida como pecadora, ou seja, alguém que não podia, segundo os sacerdotes,se aproximar de Deus e ela sabia disso, mas teve a coragem de se aproximar de Jesus.  Os que estavam assistindo a cena questionaram até mesmo se Jesus era realmente alguém enviado por Deus, pois, segundo seu pensamento, Ele reconheceria que aquela mulher era uma pecadora e não a deixaria aproximar-se Dele. Em seu íntimo ela sabia que Ele não agiria com desprezo e não se enganou. Jesus, mesmo sabendo de todos os seus pecados acolheu seu gesto, acolheu sua vida. Sabia que aquele perfume, caro, era o que ela tinha de mais precioso pra oferecer ao Mestre, como prova do seu amor por Ele. Representava a sua própria vida sendo derramada diante do Senhor.

 

Prova de amor é entregar o que temos de mais precioso. Aquela mulher não pensou duas vezes pra derramar sua vida, simbolizada no perfume, aos pés de Jesus. Mesmo que para isso tenha tido que quebrar seu vaso. Quebrar as barreiras e o medo de ser julgada. Quebrar a barreira da superficialidade e, revelando-se ao Senhor, confrontar sua própria realidade. Como sabemos, o vaso de alabastro era sem asa e não tinha a boca aberta. Para que o líquido fosse retirado de seu interior era preciso que seu gargalo fosse quebrado. O gesto daquela mulher representava sua própria vida, revelada diante de Jesus. Tudo o que ela vivia, pensava de si mesma, tudo que era superficial na vida dela foi quebrado ali, nos pés de Jesus. Jesus já estava famoso. Todas as pessoas que cruzaram Seu caminho tiveram suas vidas transformadas, eram novas pessoas. Na maioria das vezes, a palavra de Jesus era a mesma: “Vai, e não tornes a pecar”, como quem diz: “Vá, e viva uma nova vida”. Aquela mulher também desejava ouvir isso do Senhor, desejava a nova vida, que só Ele poderia dar. Mesmo que para isso ela tivesse que desfazer diante de si, ultrapassar as barreiras do preconceito e entregar tudo que era mais real para ela: a condição em que vivia. Tudo que ela conhecia de si mesma era a realidade em que se encontrava, não conseguia enxergar o profundo de seu vaso. Olhava para si e via o pecado diante dos seus olhos, acusações que amedrontavam e a afastavam da misericórdia de Deus. O primeiro passo para a nova vida foi a coragem de aproximar-se, e quebrando o vaso, confrontar-se com a verdadeira realidade, o íntimo do seu coração.

 

Somos também como este vaso de alabastro, carregamos algo precioso dentro de nós, escondido, nossa vida. E diante do Senhor é preciso que quebremos toda casca e deixemos que a vida apareça diante dele. Assim como está. Talvez, nem mesmo nós saibamos na realidade o que temos dentro de nós. É necessário termos coragem de abrirmos mão do vaso, do que é superficial, para que realmente nos conheçamos e assim, possamos nos aproximar de Deus. Quanto mais nos aproximamos Dele, mais o conhecemos e mais conhecemos a nós mesmos, pois Deus é verdade e somente a verdade se aproxima Dele. Não há como estar perto de Deus sem que a verdade apareça em nós. Muitas pessoas vivem satisfeitas com a sua superficialidade. Olham seu vaso por fora e só de saber que existe algo dentro dele já se sentem felizes, porém uma felicidade falsa. É como ter um baú e, mesmo sabendo que existe um tesouro dentro dele, não ter coragem de abri-lo para saber ao certo o que e quanto é esse tesouro. Na verdade, temos medo de confrontarmos-nos, de rever valores, de aceitar a própria história, com seus acertos, mas também com seus erros. Muitos preferem chegar diante do Senhor e mostrar-lhe somente o lado de fora de seu vaso. Esquecendo-se que o Senhor já conhece todo nosso interior e nos ama acima de qualquer realidade que estejamos vivendo. Aproximar-nos de Deus faz com que nos aproximemos de nós mesmos. E quanto mais perto de Deus, mais verdade nos tornamos e somente na verdade há liberdade, há verdadeiramente vida em abundância. Felicidade só existe com Deus e perto de Deus não há como continuarmos a ser superficiais. Nossa vida é revelada e, dessa forma, podemos ir e não pecar mais, viver a graça da Nova vida em Jesus. Esta Palavra vem nos revelar tamanho o amor e misericórdia de Deus. Ele aceita nossas vidas, derramadas diante Dele e nos dá uma nova chance para levantarmos e caminharmos diferente. É impossível alguém que tenha sido verdadeiro com o Senhor sair da mesma fora de Sua Presença. Ele assumiu todas as nossas dores, doenças, maldições, transgressões, para que possamos nos achegar a Ele sem reservas e quebrar o vaso da superficialidade.

 

PALAVRAS PARA A SEMANA:

João 3:16-17  6 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.  17 Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.

 

João 14:17  7 O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.

 

João 3:21  1 Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus..

 

João 8:32  32 E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

 

Salmo 36:9  Porque em ti está o manancial da vida; na tua luz veremos a luz.

 

1 Corintios 13:12   Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.

 

1 Corintios 8:3   Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele.

 

 

A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós. Amém.  2 Coríntios 13:14   

 

 

No Amor do Amado

 

Carol Carolo

 

 

 

h1

Tempo em Juiz de Fora

julho 13, 2008

De hoje até 27 de julho estarei em Juiz de Fora, para um curso de música.  Longe de casa, longe do MArcelo. Vim direto do Rio o que aumenta a saudade…mas, já ao chegar sinto que Deus tem preparado algo mais pra mim neste lugar. Quero ser instrumento de benção nas mãos do Senhor pra esta cidade. Estou aberta ao que Deus tem pra mim e para o tempo que estou aqui…

Aos que acompanham o blog, peço desculpas se não conseguir atualizá-lo neste tempo, ainda não sei como será nossa agenda e peço também que orem por nós…que o Senhor nos dê por herança todos os lugares onde os nossos pés pisarem.

No Amor do Amado

Carol

h1

Testemunho sobre uma nova amizade em Jesus

julho 9, 2008

Amados meus, tenho tido a graça de ser usada por Deus para testemunhar o avivamento da nossa Igreja e ser instrumento de unidade entre os cristão. Hoje coloco no blog o testemunho de um irmão muito amado por mim, evangélico, que tem me abençoado muito com longas e engraçadas conversas no MSN…rsrsr

Diego, amo vc em Jesus…e espero que nossa amizade frutifique no Senhor…

“É incrível ver as maravilhas do Senhor nas nossas vida, a cada dia nos surpreendemos com o que Ele faz. Eu gosto muito de ficar na net, pricipalmente agora que estou de ferias e semana passada Deus me apresentou usando a vida do Pr Elton em um “chat” numa comunidade do orkut Carol Carolo.

A principio sem saber que ela era uma católica “avivada”, estranhei mas Deus tinha mudado meu coração em relação à Renovação carismática. Sem preconceitos começei a conversar com ela e pude ver o quanto é temente a Deus e quanto tem permitido ser usada pelo Espirito Santo. Eu, evangélico conversando com uma Catolica harmoniosamente, compartilhando do amor de Deus. Olha que lindo (risos), mas Deus nos supreende e eu sou muito abençoado em tê-la como amiga. Jesus veio para quebrar barrareiras, preconceitos, nos unir através do Seu amor. Creio que esta “unidade” crescerá e muito em breve poderemos todos experimentar do avivamento de Deus em sua totalidade. Há transformação vindo por ai, há supresas do Senhor para o seu povo que se deixar ser mudado através do seu amor”

Diêgo Fernandes Ferreira

Pedi ao Diego que também escrevesse um pouco sobre a unidade na Igreja, então aí está o seu texto…muito abençoado…

O amor de Deus

Católicos, protestantes; Cristãos. Nos dias de hoje o Senhor tem nos chamado a amar, tem nos chamado a aceitar o outro, tem nos chamado a acolher o outro para um unico propósito: propagar  amor de Deus!

Ele nos disse: Ide e pregai o evangelho a TODA critura. O Senhor anceia por almas perdidas, por pessoas que são insesíveis ao Teu Espirito. Pessoas que por causa da religiosidade têm seus olhos fechados e semeiam o preconceito, a discriminação, a crítica. Deus esta a procura de pessoas que de coração possam dizer: ” – Senhor, usa-me. eis-me aqui “. Acima de todas as divergências há a fome de Deus de querer usar pessoas que se dispõem a estar com Ele e a serem  transformados pelo Espirito Santo, pessoas que aprendam a depender de Deus na totalidade.

Deus tem nos permitido experimentar um pouco do avivamento que chega a nossa nação. Podemos ser imersos na glória de Deus, no mover do Espirito nas nossas vidas e isso tem que trazer transformação. Ao aceitarmos Jesus como nosso unico e suficiente salvador somos feitos filhos de Deus. Antes eramos criaturas de Deus e eis que o nosso corpo torna-se templo do Espirito Santo. Ele habita em mim, Ele habita em você.

Lembro-me do sábado passado, dia 5/07/08, estava no apartamento de uma amiga para uma reunião da célula de nossa igreja. E minha amiga pediu uma ajuda para que eu escolhesse algumas imagens na internet para imprimir e fazer uma atividade com elas na reunião! Escolhemos uma imagem com várias flores, outra com um fogo e outra com duas mãos unidas!

O tema da reunião seria baseada na unidade, e eu nem imaginava o que Deus iria fazer naquela noite. Eramos 13 pessoas, minha amiga recortou as imagens e fez um quebra-cabeça com cada imagem e pediu que fizessemos 3 grupos de 4 pessoas. Cada grupo pegou um quebra-cabeça e teríamos que monta-los. Alguns tiveram dificuldades, outos nem tanto. Chegando ao fim ela falou da importância de se ajudar o outro pra fazer aquilo. Juntos as dificuldades diminuiram comparadas as dificuldades que teríamos se fóssemos montá-los sosinhos! A unidade e de fundamental importância para que o avivamento se torne mais intenso e venha por completo. Nós somos o corpo de Cristo. Ele é o cabeça, nós somos seus membros, pés, mãos. Se não estivermos em unidade o corpo se torna incompleto, deficiente. Quando não praticamos a unidade, não poderemos praticar o amor, a comunhão.

Neste dia o Senhor nos revelou que quando estamos em unidade (as mãos unidas) há o mover do Espirito Santo (o fogo) e nós nos tornamos flores de seu jardim afim de que fóssemos oferecidos a Ele com cheiro suave. Isso me impctou, percebi o quanto é importante e prazeroso servir ao outro. Quão maravilhoso é saber que o Senhor nos ama incondicionalmente e que juntos somos uma só famílias firmados em um único propósito que é o Senhor Jesus!

Devemos esqueçer as diferenças e focar em JESUS. Ele disse: “Eu sou caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim.

Muitas vezes perdemos o foco, deixamos as coisas acomodarem. Quando isso aconteçe fazemos as coisas pra Deus como se fóssemos obrigados porque já não temos vontade e prazer em fazer aquilo que Deus tem nos chamado. Quando acomodamos passamos a servir à religiosidade e passamos a olhar o outro com diferença, com orgulho. Jesus resumiu todos os mandamentos em “Ame ao próximo como Eu vos amei”. Amados, ali na Cruz o Senhor pagou um preço por nós, Ele foi humilhado naquele dia para que nós tivéssemos vida eterna, para que nós fóssemos salvos.

Devemos parar e refletir o quanto Deus sofreu em ver SEU filho passando por aquela situação. “Deus nos amouao mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito para que todo aquele que nEle crê, não pereça mas tenha vida eterna” Jo 3:16.

Jesus morreu por todos nós. E se nao estivermos juntos firmados nesses amor, nao poderemos amar o outro, aceitá-lo em suas diferenças! O que tiver que ser mudado será através do Espirito Santo. Não tenha preconceito quando um irmão de outra congregação Cristã chegar perto de você para compartilhar o amor de Deus. Deixe-se fazer parte desse amor. Deixe o orgulho, as máguas do passado pra tráz, libere perdão. Aceite esse irmão, compartilhe o amor de Deus você também e sua vida será transformada maravilhosamente. Deus abençoe

Diêgo Fernandes Ferreira

h1

“O que queres que eu te faça?”

julho 7, 2008

Texto: Lucas 18, 35 – 43

Esta Palavra, a princípio, parece tratar de apenas mais uma, das muitas, curas que Jesus realizou enquanto esteve aqui. Mas, se pararmos para meditá-la, veremos quão profundas riquezas o Senhor tem para nós neste pequeno trecho do Evangelho.

A começar do lugar onde o homem se encontrava. A Palavra diz que Jesus estava chegando a Jericó, ainda não estava na cidade. Aquele cego estava fora da cidade, pedindo esmolas. À margem da vida, totalmente alheio do que acontecia na cidade. Era deixado de lado, esquecido. Muitos o ajudavam com dinheiro, mas não o ajudavam a sair daquele lugar. Na época de Jesus, os que tinham enfermidades eram vistos como amaldiçoados por Deus, por isso eram desprezados.

Ali, quando as pessoas entravam na cidade passavam por ele. Quantas pessoas já haviam passado pela vida daquele homem. Já eram comuns aos seus ouvidos os passos, a falação, o barulho das moedas caindo em seu favor. Mas, no dia em que Jesus passou,ele percebeu que algo diferente estava acontecendo.

Muitos de nós vivemos à margem da vida, da nossa própria vida, mendigando qualquer coisa que as pessoas quiserem nos dar (atenção, amor, respeito, diálogo…). Sentados do lado de fora, percebemos a vida passando por nós e corremos o risco de não vivê-la. É possível que Jesus tenha passado muitas vezes por nós, mas nossa cegueira não nos deixou ver e nossos ouvidos estavam ocupados de mais com outras coisas para ouvir sua voz.

Aquele homem percebeu algo diferente. Ainda não sabia que era Jesus. Mas, teve sua primeira atitude de fé: a curiosidade. A curiosidade de saber por que algo diferente estava acontecendo, fez com que ele saísse do seu lugar e perguntasse a alguém. E a resposta: “É Jesus!” animou de tal forma o coração daquele homem que não pensou duas vezes antes de começar a gritar :”Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!”. A esperança tomou conta dele. Sabia que Jesus era o único que podia tirá-lo daquele lugar e condição. Jesus era a promessa e aquele cego, deixado à beira do caminho, entendeu isso.

Era preciso, agora, parar Jesus e fazer com que Ele olhasse e o ajudasse. Gritar foi seu modo. E aquele homem contra tudo e contra todos que estavam a sua volta, tentando o calar, gritou. Gritou até que Jesus parou. O grito do desprezado, marginalizado, cego, mendigo….parou Jesus.

Não importa nossa condição. Jesus parou para o jovem rico, para o mestre da lei, e também parou para o pobre cego que estava à beira do caminho. Por que não ouviria, também, nossa voz? Se o clamarmos de coração, ultima e única esperança da nossa vida, Ele ouvirá e se voltará para nós.

Jesus parou. Ele ouviu o clamor do cego, mas não foi até ele. Jesus poderia ir até onde aquele homem estava, mas desejou que ele saísse do seu lugar. Ajudado por alguns que entenderam que o Reino de Deus é amor e inclusão, aquele homem se aproximou de Jesus e ouviu a pergunta mais esperada de sua vida: “Que queres que eu te faça?”

Durante seu tempo de beira de caminho, com certeza, muitas vezes ele ouviu essa pergunta, mas de uma forma como quem dissesse: “ Que queres que eu te faça? Não posso ajudá-lo!” Mas, vinda de Jesus, essa pergunta se torna totalmente nova. Ele sabia que o Mestre falava a verdade e que realmente queira saber como ajudá-lo.

Jesus, ouve nosso clamor. Pára e pergunta a nós: “O que queres que eu te faça?”

Quantas coisas se passam em nossas mentes? Quantos desejos temos? Quantos sonhos? Quantas coisas e problemas pra resolver?

Com certeza, tudo isso se passou na mente e coração daquele homem. Poderia pedir dinheiro, riqueza, para que pudesse sair daquele lugar, poderia pedir que as pessoas o amassem, que sua família o respeitasse e o recebesse. Muitas coisas.

Mas ele pediu: “Senhor, que eu veja!” . Imaginem as conseqüências desse pedido. Curado, teria que sair da beira do caminho, não poderia mais mendigar, pois teria condições de trabalhar e assumir a própria vida. Assumir a própria vida. Conseqüência da cura: ter a responsabilidade de viver. Por isso, Jesus pergunta, quer saber se realmente aquele homem, e nós hoje, queremos receber a cura e, com ela, a responsabilidade de viver.

Muitas pessoas se afastam de Jesus, por que Ele é um Deus que traz a vida, mas que dá a nós a responsabilidade de vivê-la. Muitos já não sabem viver por si só, precisam que as pessoas lhe indiquem o caminho, o sustentem , cuidem de todas as coisas. Mas o nosso Deus não é muleta, nem secretário. Ele cura-nos para que saiamos da condição cômoda e assumamos nossa vida.

Mais que uma cura física, Jesus entendeu que aquele homem queria uma cura especial. Não só queria ver o mundo, as coisas, mas queria ver o que estava acontecendo: o Reino de Deus. E participar desse Reino. Por isso, curado, andava a frente do Senhor, louvando e atraindo os olhares pra Jesus. Aquele que estava à beira do caminho, agora, se torna povo de Deus com aqueles que já haviam sido levantados por Jesus e caminhavam com ele.

Paro por aqui, ainda querendo escrever muito mais. Mas acredito que o que conseguimos enxergar hoje com essa Palavra cura nossa cegueira e nos dá a certeza de que Jesus nos ouve, pára em nosso favor, nos tira da nosso comodismo e pergunta:

“O que queres que eu te faça? Estás pronto para assumir sua vida? Abandonar a beira do caminho e se colocar a caminho? Caminhar comigo? Vida em abundância é a promessa para aquele que tem coragem de sair do seu comodismo e pedir a cura.”

Amados, esta Palavra me encheu profundamente o coração. Pude avaliar minha vida e encontrar os lugares e áreas em que tenho preferido ficar à beira do caminho enquanto Jesus passa. Pude tomar a decisão de gritar e receber minha cura. Sei que muitas vezes não nos sentimos preparadas para assumir nossas vidas, mas se caminharmos perto de Jesus, como aquele homem “já não mais cego”, conseguiremos.

Mais algumas Palavras que narram curas que o Senhor realizou em pessoas que decidiram sair da zona de conforto e ir até Ele. Ainda hoje o Senhor opera em nossas vidas da mesma forma.

– Mateus 8, 1-4

– Lucas 7, 1-10

– Mateus 9, 20-22

– Lucas 5, 17-26

– Lucas 7, 1-10

– Marcos 9, 14-29

– Lucas 19,1-10

“E a paz de Deus, que excede toda a inteligência, haverá de guardar vossos corações e vossos pensamentos, em Cristo Jesus.” Filipenses 4,7

No Amor do Amado

Carol Carolo